Desporto Benfica é campeão e garante já 42 milhões

Benfica é campeão e garante já 42 milhões

Os encarnados conquistaram este sábado o campeonato, ao vencer, em casa, o Santa Clara por 4-1, acedendo diretamente à Liga dos Campeões. Numa estimativa conservadora, a SAD do Benfica conta amealhar 70 milhões de euros na “Champions” de 2019/20.
Benfica é campeão e garante já 42 milhões
Lusa
Negócios 18 de maio de 2019 às 20:31

O Benfica só precisava de um empate no último jogo do campeonato para se sagrar campeão, mas até acabou por ganhar ao Santa Clara, na Luz, por 4-1, este sábado, 18 de maio.

O FC Porto, que, para revalidar o título, precisava que os encarnados perdessem o jogo com os açorianos e de uma vitória perante o Sporting, acabou por ganhar aos leões por 2-1.

 

Ao sagrar-se campeão, o Benfica conquista o acesso direto à fase de grupos da milionária Liga dos Campeões de futebol, o que traduz, logo à partida, um encaixe imediato da ordem dos 42 milhões de euros.

 

Uma verba que resulta da soma do prémio monetário pela presença na "Champions", que na última época foi de 15,23 milhões de euros, a um bónus dado pela UEFA, que começa nos 27 milhões de euros, mas pode aumentar conforme o ranking de cada clube.

 

Depois, o Benfica arrecadará 2,7 milhões de euros por cada vitória na Liga dos Campeões, enquanto o empate será premiado com 900 mil euros.

 

Acresce as receitas a obter com o "market pool" (verba relacionada com o mercado televisivo de cada clube), a bilheteira, o "merchandising", contratos comerciais e de patrocínio.

 

Segundo o jornal Record, a SAD do Benfica estima que, conquistado o campeonato, o acesso direto à "Champions" permitirá um encaixe da ordem dos 70 milhões de euros.

 

O FC Porto fechou a sua participação na "Champions" deste ano, depois de ser afastado pelo Liverpool, nos quartos-de-final, com 78,44 milhões de euros de receitas diretas.

 

Já o Benfica, que não passou sequer a fase de grupos, ao ficar em terceiro no grupo E, fechou a "Champions" 2018/19 com 49,23 milhões de euros, tendo sido relegado para a Liga Europa, tendo somado 3,1 milhões de euros por ter chegado aos quartos-de-final desta prova.

 

Portugal com a maior disparidade na distribuição das receitas televisivas

 

Segundo um estudo da UEFA sobre o panorama das ligas europeias, o campeonato português é o que apresenta maior disparidade na distribuição das receitas televisivas.

 

"Portugal é agora a única maior liga europeia em que os clubes vendem os seus direitos televisivos individualmente, o que se reflete na enorme diferença entre os três principais clubes e os restantes. O rácio de um clube grande para clube médio é superior a 1.500% em Portugal, comparado com uma média de 240% nas 24 ligas com venda centralizada", lê-se no estudo, que foi divulgado no início deste ano.

 

No ranking europeu de direitos televisivos, o campeonato português surge em sétimo lugar, tendo em 2017 sido avaliado em 126 milhões de euros, atrás de Inglaterra (2,9 mil milhões), Espanha (1,2 mil milhões), Itália (mil milhões), Alemanha (820 milhões), França (617 milhões) e Turquia (295 milhões de euros).

 

Enquanto cada clube inglês recebe, em média, 145 milhões de euros de receitas televisivas domésticas, em Portugal cada um dos emblemas da I Liga amealha uma média anual de apenas sete milhões de euros.

 

Por outro lado, entre os 20 maiores campeonatos europeus, a I Liga portuguesa é a que depende mais dos prémios da UEFA (23% das receitas totais) e a que menos vive das receitas de patrocínios (22%), com os direitos televisivos domésticos a representarem 29%, enquanto a bilheteira vale somente 13% do total.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI