Desporto Benfica gasta mais e ganha mais nas transferências

Benfica gasta mais e ganha mais nas transferências

Os tricampeões investiram 29 milhões mas têm um saldo positivo de mais de 30 milhões. Sporting e Porto estão no vermelho.
Benfica gasta mais e ganha mais nas transferências
Vítor Chi
Negócios 31 de julho de 2016 às 10:30

A edição 2016/2017 da Liga Nos inicia-se daqui a duas semanas, pelo que os plantéis dos principais clubes portugueses começam a estar mais definidos. E, num balanço aos negócios de transferências feitos neste defeso, há uma conclusão óbvia: o Benfica foi quem mais gastou mas também aquele que melhor saldo tem, graças às vendas feitas, até ao momento.


Os tricampeões nacionais investiram 29 milhões de euros, se bem que os dois maiores gastos até foram em jogadores que já estavam no clube: 12 milhões de euros pelo resto do passe do mexicano Raul Jimenez (na foto) e sete milhões de euros pela compra definitiva do grego Mitroglou. Seguem-se, segundo o site TransferMarkt, os argentinos Cervi (4,1 milhões) e Benitez (3,3 milhões), o colombiano Celis (2,2 milhões) e o português André Horta, que veio do Vitória de Setúbal por 400 mil euros. Do lado das saídas, apenas três, mas duas de um valor significativo. O clube da Luz encaixou 61,5 milhões com as vendas de Renato Sanches (35 milhões), Nicolas Gaitán (25 milhões) e Bébé (1,5 milhões). Contas feitas, o saldo do Benfica em contratações e vendas é positivo em 32,5 milhões de euros. A ida de André Gomes do Valencia para o Barcelona irá elevar indirectamente este número.

 

O Futebol Clube do Porto segue atrás das águias em termos de gastos no plantel, mas ainda longe, algo que poderá mudar caso se concretize a contratação de Rafa ao Sporting de Braga. Os dragões gastaram, até agora, 18,7 milhões de euros: o brasileiro Alex Telles veio do Galatasaray por 6,5 milhões, Felipe chegou do Corinthians por 6,2 milhões e o mexicano Layún, que já estava no clube por empréstimo, custou agora 6 milhões. Em termos de saídas, para já pode falar-se apenas de Maicon, que por 6 milhões de euros ficou definitivamente no São Paulo. O saldo? Negativo em 12,7 milhões de euros.

 

O Sporting também tem estado activo no mercado, havendo registo de cinco investimentos, embora um deles seja uma cara já conhecida. O clube liderado por Bruno de Carvalho gastou 12,42 milhões de euros, segundo o TransferMarkt: o mais caro foi o argentino Alan Ruiz, que chegou a Alvalade por 5,3 milhões; segue-se a compra do passe de Bruno Paulista, por 3,5 milhões; Petrovic chegou do Dínamo de Kiev por dois milhões; o avançado Spalvis custou 1,6 milhões; e Federico Ruiz surge num negócio avaliado em 18 mil euros. O problema está nas saídas, ou na ausência delas: o Sporting ainda não realizou qualquer encaixe com a saída definitiva de jogadores, neste defeso. Contas feitas, o saldo é negativo em 12,42 milhões de euros.

Destes cálculos são excluídos os negócios de empréstimo ou as comissões de assinatura pagas a jogadores que chegam a custo zero.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI