Desporto Benfica dispara lucros, Sporting afunda receitas e Porto acelera passivo

Benfica dispara lucros, Sporting afunda receitas e Porto acelera passivo

Os "três grandes" viram as receitas encolherem e os resultados líquidos também. Tiveram todos lucros no primeiro trimestre desta temporada, mas no global aumentaram também os seus passivos. Conheça os números.

Nuno Teixeira - Infografia Paulo Moutinho 01 de dezembro de 2015 às 16:06

O Benfica não está a ter um arranque de época famoso. O bicampeão, que viu o seu treinador passar para o rival de Alvalade, vai em terceiro, atrás do Porto e do Sporting. Mas isso é no relvado. Nas contas, lidera. É a Sociedade Anónima Desportiva (SAD) que mais cresce em lucros, sendo também a que mais aumenta as receitas, baixando as dívidas. O Sporting viu as suas vendas afundarem, já o Porto regista um aumento expressivo no valor do seu passivo.

A SAD dos encarnados terminou os três meses até ao final de Setembro com lucros de 12,2 milhões de euros, o valor mais elevado entre os "três grandes" do futebol nacional. Mas mais relevante é o facto de os seus resultados líquidos terem disparado numa altura em que os dos rivais caíram. Registou um crescimento de 1.540% face aos mesmos três meses do ano passado, altura em que tinha obtido 746 mil euros de lucro.


"O resultado líquido superou os 12,2 milhões, o que representa uma variação positiva de 11,5 milhões face ao período homólogo, a qual é principalmente explicada pela melhoria dos resultados operacionais sem direitos de atletas", refere o Benfica. Sem jogadores, os resultados passaram de -2,2 milhões para 5,78 milhões. Considerando jogadores, essencialmente com as vendas de Ivan Cavaleiro e Lima, estes cresceram 58%, para 16,69 milhões.


Esta evolução positiva tanto em termos de resultados operacionais como líquidos não é acompanhada pelo Sporting nem pelo Porto. A SAD verde e branca, que tem conseguido resultados positivos em campo, ressentiu-se de forma expressiva em ambos os indicadores financeiros. Os resultados operacionais afundaram 96% para 995 mil euros. "No primeiro trimestre de 2015/16 não foram registadas mais-valias significativas, sendo as mais relevantes as de Naby Sarr e de Shikabala", diz o Sporting. No ano anterior tinha obtido 19,7 milhões.

Neste contexto, os lucros do Sporting também afundaram: caíram 99,7%, para 74 mil euros, "apresentando uma significativa redução face ao resultado de 24.623 milhares de euros no mesmo período do exercício anterior", diz a SAD liderada por Bruno Carvalho. O Porto, por seu lado, viu os lucros caírem, mas em 28,5%, num trimestre que foi igualmente marcado por uma redução dos resultados operacionais, mas aqui por causa das competições europeias.

O "resultado líquido consolidado atinge os 9,63 milhões no primeiro trimestre do exercício 2015/2016, o que representa uma diminuição de 3,8 milhões relativamente ao período homólogo", nota. Os resultados operacionais recuaram 23,5% num período em que até foram realizadas relevantes ganhos com jogadores, mas houve uma "diminuição das receitas de participação na UEFA Champions League, dado o prémio de participação na edição 2015/2016 ter sido contabilizado nas contas 2014/2015, quando o acesso foi garantido".


Passivos a crescer


A forte quebra nos resultados operacionais, mas também nos lucros, por parte do Sporting e do Porto levou a que no conjunto os "três grandes" tivessem apresentado uma quebra de mais de 40% nos resultados líquidos (-43,5% para 21,9 milhões de euros). Um saldo que levou a que o passivo destas SAD também tivesse, em conjunto, registado um aumento de 3,8%. São mais 36 milhões de euros do que no mesmo período do ano passado.

Os passivos ascenderam a 982,8 milhões de euros, com o Benfica a ser responsável por quase 44% do montante total, isto apesar de a SAD encarnada ter sido a única a conseguir encolher este valor. Baixou o passivo em 2%, já o Sporting aumentou-o em 1,7% e o Porto foi o que mais contribuiu para o saldo global ao apresentar um crescimento de 15,3% (42 milhões), para 318 milhões de euros. "No entanto, a dívida financeira líquida desce 1,93 milhões de euros face a 30 de Junho de 2015", refere.


Mais robustas


Mesmo com um passivo superior, o Porto, tal como as restantes SAD conseguiram apresentar situações financeiras mais saudáveis. Observou-se um "fortalecimento do capital próprio consolidado em 10,3 milhões de euros, pela incorporação do resultado líquido obtido no período", diz a SAD liderada por Pinto da Costa. "O capital próprio do grupo atinge, em 30 de Setembro de 2015, os 93,44 milhões, o que reflecte uma estrutura patrimonial robusta", nota.

O Sporting revela um "aumento dos capitais próprios [para 7,11 milhões] relacionado com o resultado líquido positivo do período em análise", já o Benfica nota que o capital próprio consolidado "continua a evoluir de forma consistente, atingindo um valor positivo próximo dos 13,4 milhões de euros a 30 de Setembro de 2015, o que corresponde a uma melhoria de 12,8 milhões de euros num período de três meses".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI