Desporto Clubes portugueses são os que mais pagam a empresários para vender jogadores

Clubes portugueses são os que mais pagam a empresários para vender jogadores

Os clubes portugueses são os que mais encargos tiveram este ano em comissões pagas a empresários para vender jogadores para outros países, revela um estudo da FIFA. A despesa em comissões nas vendas triplicaram face a 2018, sem que as receitas com as saídas de atletas tenham crescido a igual ritmo.
Clubes portugueses são os que mais pagam a empresários para vender jogadores
Pedro Curvelo 07 de dezembro de 2019 às 15:00

Os clubes portugueses são os que mais encargos tiveram este ano em comissões pagas a empresários para vender jogadores para outros países, revela um estudo da FIFA divulgado esta semana. Foram 46,1 milhões de dólares (41,6 milhões de euros ao câmbio atual) pagos aos agentes que intermediaram as saídas de jogadores.

O valor das comissões triplicou face aos 15,4 milhões de dólares (13,9 milhões de euros) desembolsados pelos emblemas portugueses para que os empresários intermediassem a venda de jogadores. Esta subida não se deve a um aumento de igual grandeza nas receitas com as transferências, uma vez que estas apenas subiram cerca de 13,5%. Ou seja, o valor das comissões pagas passou a ter um maior peso nas receitas obtidas com as transferências.

Este ano, os maiores negócios do futebol português foram as transferências de João Félix (126 milhões de euros), Éder Militão (50 milhões), Raúl Jiménez (38 milhões) e Raphinha (21 milhões). 

Feitas as contas, os 46,1 milhões de dólares pagos pelos clubes portugueses representam um quinto dos 228,9 milhões de dólares gastos em comissões pelos clubes vendedores em todo o mundo. 

Atrás de Portugal surgem os clubes alemães, que gastaram 32,6 milhões de dólares (29,4 milhões de euros) em comissões para a venda de jogadores. Mais abaixo encontram-se os clubes franceses, com encargos de 31,3 milhões de dólares (28,2 milhões de euros).

Portugal em quinto nas comissões pagas na compra de jogadores
No que toca a comissões pagas aos agentes para a contratação de jogadores, os clubes nacionais surgem na quinta posição, com uma despesa de 32,1 milhões de dólares (28,9 milhões de euros). A lista é liderada pelos clubes italianos, que pagaram um total de 101,4 milhões de dólares (91,4 milhões de euros) aos empresários para reforçarem os seus plantéis. Seguem-se os clubes ingleses, com uma despesa de 87,4 milhões de dólares (78,8 milhões de euros).

Entre compras e vendas, os clubes da Liga Nos gastaram 78,1 milhões de dólares (70,4 milhões de euros) em comissões a empresários, o que é quase metade da despesa com a contratação de jogadores, que se cifrou, segundo a FIFA, em 181,9 milhões de dólares (164 milhões de euros).

Jorge Mendes com dois negócios acima de 60 milhões
O empresário Jorge Mendes terá recebido uma comissão de cerca de 12 milhões de euros na transferência de João Félix do Benfica para o Atlético de Madrid.

Mas este não foi o único negócio a render milhões ao proprietário da Gestifute. A venda de João Cancelo da Juventus para o Manchester City também terá rendido perto de 6,5 milhões de euros ao empresário desportivo.

Há ainda a(s) transferência(s) de Pedro Neto, a primeira do Braga para a Lázio, por 8,5 milhões de euros, e a segunda do clube italiano para o Wolverhampton, por mais de 18 milhões.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI