Desporto Suspeitas de corrupção na FIFA provocam várias detenções

Suspeitas de corrupção na FIFA provocam várias detenções

Uma investigação sobre corrupção no seio da FIFA, iniciada nos Estados Unidos, já provocou várias detenções e a acusação de 14 pessoas, nove destas com cargos executivos na organização. Entretanto as autoridades suíças também iniciaram uma investigação.
A carregar o vídeo ...

As autoridades suíças conduziram na manhã desta quarta-feira, 27 de Maio, uma operação que levou à detenção de vários responsáveis da FIFA, o órgão executivo do futebol a nível mundial. Em causa estão acusações oriundas de uma investigação iniciada nos Estados Unidos e que estão relacionadas com a alegada prática de actos de corrupção. Segundo o New York Times, que avançou a notícia em primeira mão, em causa estão suspeitas de crimes de extorsão, constituição de redes fraudulentas e lavagem de dinheiro. 

 

De acordo com este jornal norte-americano, o número de acusados ascende a 14, sendo que nove deles ainda desempenham funções na FIFA. Entretanto, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos já confirmou a formalização da acusação a estas 14 pessoas. Entre os acusados estão Li, Jeffrey Webb, Eugenio Figueredo, Jack Warner, Julio Rocha, Costas Takkas, Rafael Esquivel, José Maria Marin e Nicolás Leoz. A investigação recai sobre alegadas práticas de corrupção destes elementos desde o inícios dos anos 1990, que terão permitido o enriquecimento ilícito deste homens ao longo de duas décadas e meia. 

 

A extradição, escreve o New York Times, é o caminho a seguir. No entanto, há vários exemplos de situações em que as autoridades helvéticas se recusaram a extraditar acusados de fuga aos impostos. Ainda assim, a CNN refere que as autoridades norte-americanas acreditam que a gravidade das acusações que incidem sobre aqueles oficiais deverá levar à concretização da extradição. 

 

A FIFA garantiu em conferência de imprensa que tanto Joseph Blatter, presidente da FIFA, como Jerome Valcke, secretário-geral do organismo, não estão implicados nas investigações. 

 

Em paralelo a estes acontecimentos, a procuradoria-geral suíça já anunciou que iniciou procedimentos criminais contra os indivíduos "suspeitos de má gestão criminosa e lavagem de dinheiro", segundo cita o Wall Street Journal. Esta investigação centra-se em concreto no processo de atribuição da organização dos mundiais de futebol de 2018 e 2022, à Rússia e ao Qatar, respectivamente. Ao longo dos últimos meses, a escolha destes países tem estado envolta em polémica, tendo mesmo surgido várias suspeitas de corrupção Blatter chegou mesmo a admitir que a escolha do Qatar foi um erro. 

 

As detenções tiveram lugar em Zurique ao início desta quarta-feira, 27 de Maio. Tudo se passou, relata o New York Times, no hotel de cinco estrelas Baur au Lac. Esta sexta-feira, inicia-se a reunião anual dos membros da FIFA naquela mesma cidade suíça, onde Blatter tenta ser novamente eleito num sufrágio do qual o português Luís Figo desistiu. Tudo indica que Blatter será reeleito para mais um mandato à frente do órgão que tutela o futebol mundial. Numa conferência realizada já esta manhã, o porta-voz do organismo, Walter de Gregorio, reconheceu que "o timing [das eleições] pode não ser o melhor, mas a FIFA congratula-se com o processo [eleitoral]".

 

As acusações que apontam para corrupção generalizada ao longo dos últimos 20 anos, referem-se ainda a negócios de transmissão televisiva de jogos de futebol.

 

Ainda não foi possível obter uma reacção por parte da FIFA, apesar do contacto do Negócios.

 

(Notícia actualizada às 12h05 com mais informações)

 




Notícias Relacionadas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI