Desporto Milhares de adeptos festejam título do Benfica no Marquês de Pombal

Milhares de adeptos festejam título do Benfica no Marquês de Pombal

Menos de uma hora depois de o Benfica ter-se sagrado tricampeão nacional de futebol, alguns milhares de adeptos já estavam reunidos na praça do Marquês de Pombal, em Lisboa, para festejar o 35.º título dos 'encarnados'.
Paulo Calado Duarte Roriz Duarte Roriz Paulo Calado Paulo Calado Paulo Calado Paulo Calado Paulo Calado Paulo Calado Paulo Calado Paulo Calado Paulo Calado Pedro Ferreira Pedro Ferreira Paulo Calado Miguel Barreira Pedro Catarino Rui Miguel Pedrosa Paulo Calado Sérgio Lemos Duarte Roriz Sérgio Lemos Duarte Roriz Duarte Roriz Duarte Roriz Duarte Roriz Pedro Catarino Pedro Catarino Pedro Catarino Pedro Catarino Pedro Catarino
Lusa 15 de maio de 2016 às 20:36

Ainda a decorria o jogo da 34.ª e última jornada, no Estádio da Luz, onde o Benfica goleou o Nacional, por 4-1, e já centenas de apoiantes se acumulavam junto das barreiras policiais montadas em todas as vias de acesso ao Marquês de Pombal.

 

As entradas começaram a processar-se com normalidade cerca das 19:00, após uma pequena revista dos agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP), e os adeptos foram preenchendo a praça do centro da capital, numa crescente 'mancha' vermelha, de camisolas, cachecóis e bandeiras.

 

Frente a um palco instalado no enfiamento do Parque Eduardo VII, os adeptos presentes acompanharam através de dois grandes ecrãs a festa que se ia fazendo no Estádio da Luz e assistiram à entrega do troféu de tricampeão.

 

Celebrando um 'tri' que não acontecia desde 1977, muito adeptos entoavam cânticos de apoio à equipa 'encarnada', mas também contra o Sporting, que discutiu o título até á última jornada, e contra Jorge Jesus, o técnico que conquistou os primeiros dois campeonatos desta série antes de se transferir para o rival de Alvalade.

Festa com a equipa

A equipa de futebol do Benfica chegou ao Marquês de Pombal às 22:08, com o espaço completamente lotado, não só no centro, como em toda a zona envolvente daquela que é uma das principais vias de Lisboa.

 

O Marquês de Pombal encheu-se de fumos vermelhos e o autocarro aberto, no qual se via o director-desportivo e ex-jogador Rui Costa à frente, acompanhado do treinador Rui vitória e do jovem jogador Renato Sanches.

 

Um momento em que o autocarro dos campeões portugueses de futebol, que hoje conquistaram o 35.º título, foi recebido ao som da música da música 'Bailando', um original do espanhol Enrique Iglesias, cantado por Mickael Carreira.

 

A estátua do Marquês de Pombal estava iluminada de vermelho e o capitão 'benfiquista' Luisão foi o primeiro a subir a um palco montado para o efeito, exibindo aos milhares de adeptos a mais recente conquista das 'águias', a taça de campeão português.

 

A partir dai, já com os jogadores todos no palco, assistiu-se a um banho de champanhe entre jogadores e também para o público, dando a música lugar ao 'We are the champions', dos Queen, habitual hino de conquistas.

 

"Um ano depois estamos de volta ao Marquês, esta não foi uma vitória contra ninguém, foi uma vitória de todos", reiterou o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, dizendo também que o clube tem "um grupo fantástico, liderado por Rui Vitória".

 

Foi um momento em que Vieira fez silêncio e deixou os adeptos a gritar pelo treinador.

 

Depois das honras ao treinador, que no início da época assumiu o comando da equipa, dirigente máximo do Benfica acabou a intervenção dizendo: "Todos os dias sonhámos chegar aqui e conseguimos".

 

O microfone passou então para as mãos do jovem Renato Sanches, médio de 18 anos, de saída para o Bayern Munique, depois do seu primeiro ano de estreia na equipa principal do Benfica.

 

Renato Sanches mostrou-se um verdeiro mestre de cerimónia, mas também um 'entertainer', cantando e incentivando os adeptos para que festejassem juntos.

 

Tal como aconteceu no Estádio da Luz, Luisão voltou a erguer a Taça, mas o momento acabou por ser ofuscado por um adepto anónimo, vestido com equipamento de escalada e que subiu mesmo ao topo da estátua do Marquês de Pombal, na qual depositou uma imagem do falecido Eusébio, figura maior do clube.

 

A festa durou cerca de uma hora, depois de se cantar o hino 'Ser benfiquista', de Luís Piçarra, e terminou com um longo fogo-de-artifício no topo do Parque Eduardo VII, a dar cor àquela que é terceira conquista consecutiva do Benfica na I Liga.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI