Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Pinto da Costa elege "recuperação financeira" do FC Porto como prioridade

Numa entrevista ao Porto Canal, Pinto da Costa, de 82 anos, defendeu ainda a alteração dos estatutos do clube, que no seu entender "estão ultrapassados", para o que irá criar uma comissão, e o desejo de construir uma cidade desportiva.

David Martins
Lusa 09 de Junho de 2020 às 07:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...
O reeleito presidente do FC Porto, Pinto da Costa, para o 15.º mandato consecutivo de um ciclo iniciado há 38 anos, elegeu na segunda-feira a "recuperação financeira do clube" como um dos objetivos principais para o quadriénio 2020/2024.

Numa entrevista ao Porto Canal, Pinto da Costa, de 82 anos, defendeu ainda a alteração dos estatutos do clube, que no seu entender "estão ultrapassados", para o que irá criar uma comissão, e o desejo de construir uma cidade desportiva.

Eleito com 68,65 por cento dos 8.480 votos expressos, numa das eleições mais concorridas de sempre, que decorreu em dois dias, devido à pandemia de covid-19, Pinto da Costa afirmou ter ficado "impressionado" com o número de votantes e com a forma como a eleição decorreu.

Pinto da Costa achou "normal" que uma percentagem dos sócios tenha votado em José Fernando Rio (26,44%) e Nuno Lobo (4,91%), opção que respeita e que atribui a "algum desgaste, num momento difícil e delicado, de 38 anos de presidência".

O dirigente, que é o mais antigo e titulado no mundo, com 1.274 títulos em todas as modalidades, dos quais 61 no futebol, reafirmou que Sérgio Conceição é o seu treinador e, por sua vontade, prolongava o vínculo contratual já amanhã.

"Já tive aqui um treinador que estava na cadeira de sonho [André Villas-Boas] e desapareceu", disse.

Duas das caras novas na direção são as de Vitor Baia, que irá integrar uma comissão virada para o futebol profissional, e Fernando Gomes (bi-bota), para a área da formação, que Pinto da Costa considerou dois ídolos e duas mais-valias.

Pinto da Costa disse ainda que o atual presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, é o seu candidato, caso pretenda ir a votos, e considerou uma "brincadeira" e uma "aberração" falar no nome de Luís Duque.

"Pedro Proença transformou uma Liga praticamente falida e fez coisas fantásticas. Pôde chegar a esta altura e ajudar os clubes de II Liga com mais de 1,5 milhões de euros de um fundo de reserva", considerou o reeleito presidente.

O dirigente frisa que a sua opinião é partilhada pela maioria dos clubes, como ficou patente na Assembleia Geral desta segunda-feira, em que foi inequívoco o apoio ao "trabalho brilhante" de Pedro Proença, bem como ao projeto de modelo de governação por si apresentado.

Pinto da Costa devolveu as insinuações do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, que alegou que Pedro Proença prestava vassalagem a alguns clubes, dizendo que isso não se coaduna com o perfil de alguém que foi o melhor árbitro do mundo.

"Não faço ideia, ao presidente do FC Porto nunca prestou vassalagem, nem eu aceitaria. Seja de quem for. É contra o espírito dele, que foi o melhor árbitro do mundo. Não presta vassalagem a ninguém. Quem é eleito com 96 por cento dos votos dos clubes, então tinha de prestar vassalagem a toda a gente", disse.

O líder portista voltou a devolver uma insinuação de Luís Filipe Vieira sobre a futura cidade desportiva do FC Porto, supostamente em Matosinhos, afirmando que "quem fala do que não sabe está sempre sujeito a dizer asneiras" e "quem não é escrupuloso em defesa da verdade sujeita-se a dizer barbaridades".

Pinto da Costa comentou ainda a presença de Hélder Postiga na lista de Fernando Gomes à reeleição para a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), considerando, apesar de desconhecer as funções, que o antigo jogador do FC Porto é um excelente reforço.

Já quanto ao nome da deputada Cláudia Santos para presidente do Conselho de Disciplina da FPF, Pinto da Costa considera "incompreensível", pois, refere, integrou o período de gestão de Mário Figueiredo na LPFP e "foi posta na rua pelos clubes quando entrou Pedro Proença".

Pinto da Costa rebateu ainda as acusações de que tem sido alvo de integrar políticos nos corpos gerentes do clube, afirmando que, para si, o que conta é a seriedade das pessoas e, no caso de Rui Moreira, não considera que faça parte dessa classe.

"Rui Moreira [presidente da Câmara Municipal do Porto] nunca pertenceu a nenhum partido e foi como independente que ganhou a câmara. Ele é um empresário. E se gerir bem a cidade faz dele um político, então seja", acrescentou Pinto da Costa.

O presidente dos 'dragões' comentou ainda as notícias que dão conta dos negócios entre alguns clubes, neste caso envolvendo o Benfica e o Desportivo das Aves, e contraria o clube 'encarnado', que os considera normais e prática comum.

"Não sei que tipo de contratos são. Os contratos do FC Porto são claríssimos e são o que são. Não há simulações nem empréstimos fictícios. Mas há muitas maneiras de fazer negócios, eu falo por mim", disse o dirigente portista, que não se mostrou surpreendido pelo nome de Paulo Gonçalves estar envolvido.
Ver comentários
Saber mais Pinto da Costa FC Porto Rui Moreira Luís Filipe Vieira Fernando Gomes
Mais lidas
Outras Notícias