Desporto SAD da União de Leiria termina depois de 14 anos de sucessos e polémicas

SAD da União de Leiria termina depois de 14 anos de sucessos e polémicas

Os credores da União de Leiria decidiram esta sexta-feira liquidar em tribunal a sociedade anónima desportiva (SAD) do clube de futebol, pondo fim a uma história de 14 anos recheados de sucessos e casos.
Lusa 28 de junho de 2013 às 17:59

Liderada desde a criação, em 1999, pelo polémico e conflituoso João Bartolomeu, a SAD foi várias vezes apontada como exemplo entre os clubes pequenos.

 

Durante mais de uma década apresentou resultados desportivos de assinalar, exercícios equilibrados e serviu de rampa de lançamento a treinadores e jogadores.

 

A nível interno, a SAD esteve sempre entre os "grandes", com excepção da época de 2008/2009, em que desceu e voltou a subir à Liga principal.

 

O principal feito foi a disputa da final da Taça de Portugal em 2002/2003, perdendo no Jamor com o FC Porto por 1-0. De assinalar ainda dois quintos lugares na Liga, em 2000/2001 e 2002/2003.

 

A equipa participou duas vezes na Taça UEFA e foi duas vezes finalista da Taça Intertoto.

 

Pela União de Leiria SAD passou José Mourinho, que aí relançou a carreira, transferindo-se para o FC Porto em 2001/2002.

 

Ao longo da sua existência, a equipa foi orientada por alguns dos treinadores de topo do futebol português, como Manuel José, Manuel Cajuda, Jorge Jesus, Manuel Fernandes ou Domingos Paciência.

 

Dentro de campo, jogaram pelo Leiria alguns nomes relevantes no panorama nacional, como Tahar, Helton, Nuno Valente, Derlei, Maciel, Douala, Hugo Almeida, Paulo Machado, Sougou ou Manuel Iturra.

 

Contudo, a história da SAD foi também repleta de polémica, praticamente desde o início.

 

Em 2008, o histórico dirigente foi punido pela Comissão Disciplinar da Liga de futebol com um ano de suspensão por envolvimento num caso de tentativa de corrupção no âmbito do processo "Apito Final".

 

Mas a liderança centrada em João Bartolomeu, de personalidade difícil, criou sempre múltiplas tensões e cisões entre a SAD e dirigentes, investidores, treinadores, jornalistas e a própria cidade: durante vários anos as assistências aos jogos apresentavam números irrisórios e na época de 2011/2012 a sociedade incompatibilizou-se mesmo com a Câmara de Leiria e foi jogar para a Marinha.

 

Essa foi a época do descalabro: a saída de cena do administrador António Bastos, condenado a 13 anos de cadeia por homicídio e fugido desde Dezembro de 2011, desequilibrou a gestão da SAD e os problemas acumularam-se.

 

Em Abril de 2012, a maioria dos jogadores rescindiu contrato devido a ordenados em atraso e a União de Leiria entrou num dos jogos da Liga apenas com oito jogadores em campo.

 

João Bartolomeu demitiu-se pouco depois, mas manteve-se por trás da SAD, umas vezes na sombra e outras nem isso.

 

Despromovida na secretaria à II divisão por incumprimento das exigências da Liga, a equipa disputou na última temporada a zona sul e terminou em sétimo lugar.

 

Hoje, depois de um longo processo nos tribunais, a esmagadora maioria dos credores, que reclamava o pagamento de 16,84 milhões de euros, decidiu pelo fim da SAD.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI