Europeu Euro2016: De reformado a voluntário com “coração” português

Euro2016: De reformado a voluntário com “coração” português

José Manuel Serôdio é emigrante em França há mais de meio-século, está reformado há nove anos e aproveitou o tempo livre para ser um entre centenas de voluntários do Euro2016, em Saint-Étienne.
A carregar o vídeo ...
Negócios 14 de junho de 2016 às 09:41

"Estou reformado, tinha tempo e então pensei: 'porque não?' Inscrevi-me e fui escolhido", contou este antigo mecânico de 69 anos à agência Lusa, enquanto fazia um intervalo nas suas funções no Estádio Geoffroy-Guichard, em que recebe jornalistas de todo o mundo e, depois de confirmar as suas identidades, lhes entrega as acreditações da UEFA.    

 

Semanas mais tarde, o sorteio ditou que Portugal iria estrear- com a Islândia precisamente em Saint-Étienne, dando a José Manuel Serôdio a possibilidade de assistir pela primeira vez a um jogo da selecção nacional na cidade onde vive.

 

"Foi uma alegria ver depois que Portugal vinha cá nesta altura", disse este português de Almeirim, que abandonou as terras lusas ainda adolescente. Serôdio já tinha assistido a jogos de Benfica, Sporting e Vitória de Setúbal, mas nunca a selecção nacional.

 

Com uma boa disposição contagiante, José Manuel contou que a comunidade lusa em Saint-Étienne está "doida" com a chegada de Portugal à cidade.

 

"Está tudo organizado de uma maneira para que seja até dizer chega. É uma alegria para esta gente. É uma loucura para esta gente toda. Está tudo doido", disse.

 

Como muitos outros dos milhares emigrantes portugueses em França, José Manuel deixou Portugal com os pais, na altura devido ao Estado Novo e como forma de fugir à guerra do Ultramar.

 

Casou, por coincidência com uma portuguesa igualmente natural de Almeirim, teve dois filhos, mais tarde dois netos, e mesmo após 50 anos em terras francesas, Portugal será sempre o primeiro país no seu "coração".

 

"O segundo é a França, que me acolheu. Fiz aqui a minha vida. Os meus filhos nasceram cá, os meus netos também, mas Portugal está aqui, no meu coração. Hoje em dia é ainda mais fácil viajar. Vamos e voltamos em pouco tempo", referiu.

 

Com uma forma física que deixa inveja a qualquer quase septuagenário, tudo devido a "muita corrida e muita bicicleta", José vai continuar a desfrutar dos seus 'anos dourados' em terras franceses e o regresso definitivo a Portugal só se calhar "noutra vida".

 

"Tenho aqui tudo. Tenho três vezes mais tempo aqui do que em Portugal", concluiu.

 

Hoje, a partir das 21:00 (20:00 em Lisboa), conta estar no Geoffroy-Guichard a ver jogar a equipa nacional ao vivo pela primeira vez, na estreia de Portugal no Grupo F do Euro2016, frente à Islândia.





Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI