Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

96% dos utilizadores da Uber defendem que plataforma deve ser permitida em Portugal

O inquérito Audax-ISCTE sobre a Uber em Portugal, realizado junto de 900 pessoas, destaca nas suas conclusões o conforto do serviço como um dos factores para os utilizadores desta plataforma quererem continuar a usá-la.

Pedro Catarino/Correio da Manhã
Negócios 23 de Setembro de 2016 às 00:01
  • Partilhar artigo
  • 12
  • ...

Questionados sobre os factores que os motivaram a usar a Uber pela primeira vez, 99% dos utilizadores desta plataforma que responderam ao inquérito Audax-ISCTE - realizado em Agosto passado - disseram ter dado importância à percepção de boa qualidade de serviço.

 

No que respeita às motivações que levam os utilizadores a continuar a usar a Uber, o conforto é decisivo para 99% dos utilizadores, assim como a segurança de condução do motorista (96%), sublinha o estudo realizado pelo centro de empreendedorismo do ISCTE-IUL com o objectivo de aferir a percepção dos portugueses relativamente à Uber em Portugal.

 

O estudo teve por base uma amostra de 900 inquiridos, de uma faixa etária entre os 25 e os 44 anos. Destes, 300 eram, em Agosto, utilizadores actuais do serviço Uber.

 

A experiência dos utilizadores com a Uber em Portugal – onde entrou em Julho de 2014, estando neste momento disponível em Lisboa, no Porto e no Algarve - leva a que a quase totalidade destes (99%) recomendem o serviço a amigos, sublinham as conclusões do estudo.

 

Já 96% dos utilizadores concordam que novas tecnologias e modelos de negócio ligados à mobilidade possam operar em Portugal, 95% concordam que o Governo tem um papel importante na criação de uma regulação moderna e transparente em relação a novas formas de mobilidade como a Uber, e 91% preocupam-se com o futuro da plataforma no país.

 

No universo dos não-utilizadores da Uber em Portugal, 75% concordam que podem contar com a Uber e 63% defendem que a Uber lhes transmite confiança.

 

Sobre o uberGREEN - a opção da plataforma que dá acesso a viagens em carros 100% eléctricos, disponível em Lisboa e Porto - 81% dos utilizadores sentem-se satisfeitos e 89% assinalam ser um serviço que diferencia a Uber de outros operadores. No universo de não-utilizadores, 79% considera positivamente a categoria de serviço e admite ser um factor de diferenciação da plataforma.

 

Segundo o professor Pedro Fontes Falcão, coordenador da equipa que levou a cabo o estudo e docente da ISCTE Business School, "os resultados obtidos, na vertente meramente descritiva, permitem concluir sobre a solidez da Uber em Portugal quanto a elementos essenciais da prestação do serviço".

 

As avaliações "são bastante positivas, na vertente da qualidade de serviço, orientação para o cliente, experiência emocional e vínculo afectivo, bem como fidelização à marca. Esta avaliação positiva observa-se também tendencialmente entre não clientes, cuja expectativa é convergente quanto à reputação e expectativa de qualidade de serviço", acrescenta o mesmo responsável.

Novos protestos dos taxistas
As organizações representativas do sector do táxi anunciaram, no início deste mês, uma nova concentração em Lisboa, a 10 de Outubro, para contestar a actividade de plataformas como a Uber e a Cabify (que permitem pedir carros de transporte de passageiros, com uma aplicação para ‘smartphones’ que liga quem se quer deslocar a operadores de transporte), que consideram funcionar de forma ilegal.

No passado dia 16 de Setembro, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, garantiu à Rádio Renascença que vai apresentar a nova legislação para regular plataformas de transporte como a Uber ou Cabify ainda em Outubro, antes do protesto dos taxistas marcado para dia 10. 

 

Ver comentários
Saber mais Portugal Lisboa Porto Algarve Governo Pedro Fontes Falcão ISCTE Business School Uber
Outras Notícias