Empresas A queda do império Espírito Santo

A queda do império Espírito Santo

Nos anos 90 Ricardo Salgado foi escolhido pela família para liderar os negócios financeiros do grupo. O presidente do BES tornou-se num dos homens mais poderosos do país. Ao cair da cadeira do poder arrastou com ele um império com quase 150 anos, fundado pelo bisavô. Veja o vídeo.
A carregar o vídeo ...
Filipa Lino Miguel Graça - Vídeo 14 de agosto de 2014 às 10:27

Tudo começou com uma casa de câmbios na Calçada dos Paulistas, hoje Calçada do Combro. José Maria Espírito Santo e Silva tinha apenas 19 anos quando entrou no mundo dos negócios.

 

O passo seguinte foi abrir uma casa bancária na baixa pombalina que mais tarde se tornaria na jóia da coroa da família Espírito Santo.

 

Passaram quatro gerações de banqueiros. O último foi Ricardo Salgado, que chegou à presidêcia do BES nos anos 90. 

 

Em duas décadas tornou o banco da família no terceiro maior banco do país. Ganha poder e exerce influência nos negócios e na política. Chamam-lhe o dono disto tudo.

 

Ironicamente a história do Banco de todos os regimes acaba com o representante da quarta geração de banqueiros a ser empurrado da cadeira do poder. Com Ricardo Salgado cai também o império da família…como um baralho de cartas.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI