Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Acções do BCP lideram ganhos no índice Dow Jones para a banca

As acções do BCP, que já estiveram a valorizar um máximo de 2,4%, lideravam os ganhos do índice Dow Euro Jones Stoxx para o sector da banca na Zona Euro. Os analistas consideraram os resultados trimestrais do banco globalmente positivos e prevêem para 200

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 20 de Abril de 2005 às 10:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As acções do BCP, que já estiveram a valorizar um máximo de 2,4%, lideravam os ganhos do índice Dow Euro Jones Stoxx para o sector da banca na Zona Euro. Os analistas consideraram os resultados trimestrais do banco globalmente positivos e prevêem para 2005 lucros de 563 a 589 milhões de euros.

O Banco Comercial Português (BCP) [BCP] negociava em subida de 1,44% para os 2,10 euros, a aliviarem de uma valorização máxima de 2,4%.

O banco liderava hoje os ganhos no índice Dow Jones Euro Stoxx, que agrega 46 dos maiores bancos da região. Este desempenho está ligado à apresentação das contas relativas ao primeiro trimestre de 2005, anunciadas já segundo as novas normas internacionais de contabilidade (NIC).

A Espírito Santo Research (preço-alvo de 2,10 euros e recomendação de compra) diz que os resultados, globalmente, saíram em linha, destacando, pela positiva, a descida para 5,3% do rácio de solvabilidade «core capital», bem como as margens a nível da actividade da banca doméstica.

O banco de investimento diz que vai rever as estimativas e a avaliação do banco que, nesta altura, está a ter uma «conference call» com analistas.

O BPI (preço-alvo de 2,45 euros e recomendação de acumular) classifica o conjunto dos resultados de «positivo», considerando o impacto das NIC na demonstração de resultados «neutral a ligeiramente positivo», e «algo negativo» a nível dos rácios de capital.

A JP Morgan (preço-alvo de 2,08 euros e recomendação de neutral) defende que os resultados do BCP foram «sólidos», impulsionados pela melhoria da margem financeira - apesar de algum estreitamento do «spread» (diferencial entre os juros cobrados e recebidos) - e pela queda a nível dos custos.

O Credit Suisse First Boston (preço-alvo de 2,06 euros e recomendação de neutral) diz que os lucros de 137 milhões de euros ficaram em linha com os 136 milhões de euros (em NIC) estimados, prevendo, para a totalidade de 2005, resultados de 563 milhões de euros.

A Fox-Pitt, Ketton (preço-alvo de 2,10 euros e recomendação de em linha) estima para 2005 lucros de 589 milhões de euros, considerando que as acções estão a negociar a prémio de 20% face ao sector da banca na Europa, «mas em linha com o sector ibérico».

Outras Notícias