Empresas Administrador executivo da Orey Antunes pede renúncia após pedido de PER  

Administrador executivo da Orey Antunes pede renúncia após pedido de PER  

A saída de Luís Miguel Gonçalves Pereira tem eficácia a partir de 30 de novembro. Era o único administrador executivo da empresa, além do CEO.
Administrador executivo da Orey Antunes pede renúncia após pedido de PER   
Miguel Baltazar
Negócios 05 de dezembro de 2019 às 08:00

A Sociedade Comercial Orey Antunes (SCOA) anunciou esta quinta-feira, 5 de dezembro, que o seu administrador Luís Miguel Gonçalves Pereira renunciou ao cargo no Conselho de Administração.

 

A renúncia, segundo um comunicado à CMVM, tem eficácia a 30 de novembro, um dia depois da cotada ter anunciado ao mercado que pediu a abertura de um Processo Especial de Revitalização (PER), com vista à sua recuperação. 

 

Duarte d’Orey (na foto) é o CEO da Orey Antunes, sendo que Luís Pereira era o único administrador executivo. Caso não seja substituído, Duarte d’Orey será o único elemento do conselho executivo.

 
Luís Pereira entrou na Orey em 2002, como subdiretor da Orey Financial, sendo administrador executivo da SCOA desde 2016

O objetivo do PER é, de acordo com o comunicado enviado ao regulador, "estabelecer negociações com os seus credores de modo a concluir um acordo conducente à sua revitalização, através da implementação de medidas de regularização do passivo que assegurem a sua viabilidade a longo prazo". Além disto, a sociedade pretende a entrada de investidores que possam contribuir para dotar a SCOA dos meios necessários para reembolsar os credores após a aprovação do mesmo.

O pedido de revitalização foi entregue junto do Tribunal Judicial de Comarca de Lisboa e "abrange apenas a SCOA individualmente.

 

Do plano consta que cerca de 42 milhões de euros de créditos comuns e créditos sob condição serão objeto de perdão de dívida de capital, de 90% a 95%, e perdão de juros de 100%. Já os 13,8 milhões de euros de créditos subordinados de outras sociedades do grupo sobre a Orey serão integralmente objeto de perdão. Assim, perto de 56 milhões de euros de dívidas terão perdão integral de juros. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI