Aviação Airbus anuncia redução de até 3.700 empregados nas fábricas na Europa

Airbus anuncia redução de até 3.700 empregados nas fábricas na Europa

O consórcio aeronáutico Airbus confirmou hoje a redução de até 3.700 postos de trabalho nas fábricas em França, Alemanha, Reino Unido e Espanha.
Airbus anuncia redução de até 3.700 empregados nas fábricas na Europa
Reuters
Lusa 07 de março de 2018 às 15:41

A redução dos efectivos surge na sequência da diminuição da cadência de fabrico do modelo A380 e do avião de transporte militar A400M, que é montado na fábrica de Sevilha, indicou a empresa em comunicado.

 

A Airbus diz ainda estar convencida que pode oferecer aos seus empregados soluções dentro da empresa, evitando assim os despedimentos.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 26.03.2018

A Europa rica e desenvolvida e o chamado Modelo Nórdico que permite maximizar a criação de valor e minimizar a extracção daquele. Um Estado de Bem-Estar Social que existe acima de tudo para criar um mercado laboral verdadeiramente flexível e um mercado de capitais forte e dinâmico.

comentários mais recentes
Anónimo 27.03.2018

Em Portugal, fazer boa gestão de recursos humanos, incluindo aquela que recorre ao despedimento, que abra portas para o melhor e mais adequado talento e capital disponível no mercado, não interessa. Aliás, não interessa culturalmente porque inclusivamente foi estipulado que é ilegal. E se é dito que é ilegal, as mentes, mesmo as mais esclarecidas, calam-se e acobardam-se. Nas economias e sociedades mais avançadas não é, de todo, assim. E esse é o seu grande segredo, que no fundo, já não é segredo algum.

Anónimo 26.03.2018

Nas economias e sociedades avançadas, a oferta e a procura de mercado não são opcionais. É óbvio que em Caracas e em Pyongyang poucos perceberam isso. E em Lisboa há muita gente confundida pela propaganda constitucional do período do PREC que vive cheia de dúvidas quanto a esta e outras realidades insofismáveis...

Anónimo 26.03.2018

A Europa rica e desenvolvida e o chamado Modelo Nórdico que permite maximizar a criação de valor e minimizar a extracção daquele. Um Estado de Bem-Estar Social que existe acima de tudo para criar um mercado laboral verdadeiramente flexível e um mercado de capitais forte e dinâmico.

pub