Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Anacom aprova variação máxima de preços dos serviços postais

O regulador vai mesmo avançar com a fixação de uma variação máxima dos preços dos serviços postais. Até 2020, a variação não poderá ser superior ao valor da inflação.

No ano em que as acções perderam quase metade do valor, o fundo soberano da Noruega reduziu a posição nos CTT para 3,29% do capital. Só na Nos a posição accionista é superior, mas a exposição do Norges Bank aos Correios caiu para quase metade (166 milhões de coroas). Bem abaixo do máximo registado em 2015 (372 milhões).
Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 13 de Novembro de 2018 às 17:49
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A Anacom aprovou a variação máxima dos preços dos serviços postais para o período 2019-2020. Tendo em conta a recente decisão "os preços nos próximos dois anos evoluirão abaixo da inflação, uma vez que a variação não poderá ser superior ao valor da inflação deduzido de 0,25 pontos percentuais", explica o regulador numa nota e envida às redacções. Já a "evolução do preço do selo do correio normal até 20g passa a estar também limitada por aquela variação máxima", acrescenta.

Em comunicado, o regulador explica que esta decisão de fixar um tecto máximo na variação que dita os preços dos serviços postais foi "adoptada na sequência de um processo de consulta pública e audiência prévia". E lembra que "nos termos da Lei Postal, compete à Anacom fixar os critérios a que deve obedecer a formação dos preços dos serviços postais que compõem o serviço universal".

Em Julho de 2018 o regulador aprovou os indicadores de qualidade de serviço que os CTT, enquanto prestador do serviço universal, terão de cumprir em 2019 e 2020. "Com os novos indicadores, mais exigentes, a Anacom pretende inverter a situação de progressivo agravamento da qualidade de serviço e de crescente insatisfação dos utilizadores que se tem vindo a registar", relembra o regulador no mesmo comunicado.

Uma decisão já contestada pelos CTT. A empresa liderada por Francisco Lacerda anunciou que vai avançar para tribunal para tentar invalidar esta decisão que considera "desadequada".

Ver comentários
Saber mais CTT correio Francisco Lacerda
Mais lidas
Outras Notícias