Telecomunicações Anacom prepara lançamento da 5ª geração móvel em Portugal

Anacom prepara lançamento da 5ª geração móvel em Portugal

"A passagem para o 5G reveste-se de grande relevância pelas enormes potencialidades que acarreta em termos de inovação e desenvolvimento do sector e do país", diz o regulador.
Anacom prepara lançamento da 5ª geração móvel em Portugal
Pedro Elias
Negócios 07 de março de 2018 às 13:23

O regulador do sector das telecomunicações anunciou esta quarta-feira que está a preparar o lançamento da 5ª geração móvel, sendo que para o efeito "vai auscultar o mercado para avaliar o interesse dos operadores nas faixas que tecnologicamente possibilitam o desenvolvimento dos vários serviços que podem ser prestados com esta nova geração móvel".

 

Entre os novos serviços que ficam disponíveis com esta tecnologia estão o Machine-to-Machine (M2M) e Internet of Things (IoT), destaca a Anacom, assinalando que "importa avançar com este processo", uma vez que "a passagem para o 5G reveste-se de grande relevância pelas enormes potencialidades que acarreta em termos de inovação e desenvolvimento do sector e do país".

 

O regulador quer avaliar "qual o interesse que os fabricantes, operadores, entidades privadas e públicas, utilizadores, e outros, têm na disponibilização da faixa dos 700 MHz, bem como outras faixas em que possa haver interesse numa disponibilização simultânea"

 

Além da faixa dos 700 MHz, que é considerada particularmente adequada para garantir a oferta de serviços de banda larga em zonas rurais, a Anacom pretende conhecer o interesse para a atribuição de espectro nas faixas dos 450 MHz, 900 MHz, 1500 MHz, 1800 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz, 3,6 GHz e 26 GHz.

 

A Anacom acrescenta que "tem vindo a trabalhar com os congéneres de Espanha e Marrocos no sentido de coordenar a utilização das frequências, de modo a evitar a existência de interferências nos serviços que vierem a funcionar naquela faixa".

 

O regulador lembra que a "libertação da faixa dos 700 MHz para serviços de comunicações electrónicas terrestres, determinará também a migração da actual rede de televisão digital terrestre para outra faixa de frequências", sendo que "para assegurar o direito dos consumidores a terem acesso a televisão gratuita, a Anacom tem vindo a analisar os custos e benefícios de um conjunto de soluções/cenários de migração da actual rede". 

 

A consulta pública sobre a disponibilização de espectro vai decorrer durante 30 dias úteis, terminando a 19 de Abril.




Saber mais e Alertas
pub