Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Angola já pesa mais que Portugal nos negócios da Teixeira Duarte

A Teixeira Duarte sofreu uma quebra acentuada no volume de negócios em Portugal, que foi compensada pelo forte crescimento verificado no exterior, sobretudo em África. Só em Angola a empresa obteve um volume de negócios superior ao registado em Portugal.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 29 de Maio de 2009 às 20:21
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...
A Teixeira Duarte sofreu uma quebra acentuada no volume de negócios em Portugal, que foi compensada pelo forte crescimento verificado no exterior, sobretudo em África. Só em Angola a empresa obteve um volume de negócios superior ao registado em Portugal.

Segundo revelou a empresa em comunicado, as receitas da Teixeira Duarte aumentaram 3,5% no primeiro trimestre para 278,1 mil milhões de euros.

Devido à redução de 13,7% no volume de negócios em Portugal, para 105,18 milhões de euros, o peso do mercado externo da Teixeira Duarte aumentou para 62,2%. No mesmo período do ano passado, o peso foi de 54%.

Esta subida deve-se sobretudo ao contributo dos mercados africanos onde a Teixeira Duarte está presente. Em Angola o volume de negócios aumentou 31,4% para 116,1 milhões de euros, o que supera a facturação obtida em Portugal.

Em Moçambique o crescimento foi ainda maior, com um aumento de 118,1% para 8,8 milhões de euros.

“Apesar de alguns mercados terem sido mais penalizados pela actual conjuntura de crise, noutros prosseguiu-se um crescimento sustentado, nomeadamente em Angola, Argélia, Espanha e em Moçambique, este último onde o termo comparativo com igual período de 2008 revela bem o impulso que a economia local tem tido, em especial com o investimento público em infra-estruturas essenciais ao desenvolvimento do país”, refere a empresa em comunicado.

Em Espanha, um mercado fortemente afectado pela crise no sector imobiliário, a Teixeira Duarte conseguiu crescer 14% para 6 mil milhões de euros.

As quebras mais acentuadas foram registadas na Venezuela (-89,7%), Ucrânia (74%) e Brasil (18,5%).

No comunicado a empresa liderada por Pedro Teixeira Duarte mantém como objectivo terminar este ano com um volume de negócios de 1,5 mil milhões de euros.



Ver comentários
Outras Notícias