Energia Apetro: "País não se pode dar ao luxo de abdicar do levantamento das riquezas no subsolo"

Apetro: "País não se pode dar ao luxo de abdicar do levantamento das riquezas no subsolo"

António Comprido, secretário-geral da Apetro (Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas), defende que o país não se pode dar ao luxo de abdicar das riquezas que existem no subsolo, e critica quem é contra a prospecção de hidrocarbonetos só porque se é contra.
A carregar o vídeo ...
"Não sei qual é a política do Governo relativamente à exploração de hidrocarbonetos" em Portugal. A afirmação é de António Comprido, secretário-geral da Apetro, que, em entrevista ao Negócios e Antena 1 na Conversa Capital, sustenta que "o levantamento das riquezas que existem no subsolo nacional, incluindo os hidrocarbonetos, é algo a que o país não se pode dar ao luxo de abdicar".

António Comprido acrescenta, ainda, que a contestação às prospecções e explorações de petróleo são muitas vezes empoladas. "Suponhamos que o mundo inteiro adoptava a mesma posição que algumas pessoas adoptam em Portugal, de fim à exploração dos hidrocarbonetos. A nossa economia, a economia mundial, colapsava. O nosso estilo de vida colapsava. E achamos que explorar os hidrocarbonetos em Portugal, se eles existem, deve ser feito se isso for útil e rentável para o país".

Por isso, diz ser demagogia quem afirma que uma exploração a 50 quilómetros da costa vai afastar os turistas. "Isso é demagogia pura, não é verdade".

A entrevista de António Comprido irá para o ar na Antena 1 este domingo às 13 horas e pode ser lida no Negócios segunda-feira.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI