Tecnologias Apple planeia lançar serviço de subscrição de notícias

Apple planeia lançar serviço de subscrição de notícias

A Apple quer reforçar o seu serviço de notícias. Depois de adquirir a Texture, uma aplicação que reúne um conjunto de revistas, a tecnológica da maçã quer integrá-la no serviço Apple News.
Apple planeia lançar serviço de subscrição de notícias
David Gray / Reuters
Raquel Murgeira 17 de abril de 2018 às 17:47

A Apple planeia lançar um serviço pago de notícias. Esta iniciativa surge depois de, no mês passado, a gigante da tecnologia ter adquirido a Texture, uma aplicação que permite aos utilizadores ter acesso a várias revistas, através de um pagamento mensal. Segundo fontes próximas ao negócio, citadas na Bloomberg, a Apple quer fundir a aplicação com o serviço Apple News.

Uma acção que integra a estratégia da fabricante do iPhone em gerar mais receitas com conteúdos e serviços online.

A Texture permite aos utilizadores subscrever mais de 200 revistas por 9,99 dólares por mês. Depois da Apple comprar a aplicação dispensou cerca de 20 dos 100 funcionários da empresa, incluindo assistentes, engenheiros de software e gestores. Juntamente com os empregados da aplicação ainda em funções pretende agora integrá-la no serviço Apple News para criar uma oferta de assinatura "premium" de notícias pagas que deverá ser lançada já no próximo ano, de acordo com a Bloomberg.

A maior empresa de tecnologia pretende apresentar um serviço simplificado de assinatura de notícias e que tenha uma cobertura de várias publicações para que a subscrição da Apple News seja mais atraente aos clientes. 


A tecnológica da maçã fez um processo semelhante com a Apple Music, serviço de streaming, ao comprar o negócio Beats Music com meio milhão de assinantes pagos, transformando-o num negócio de 40 milhões de utilizadores, segundo a agência noticiosa.

As vendas da empresa de tecnologia em relação ao sector online cresceram 23%, o que representa 30 mil milhões de dólares no ano fiscal de 2017. A Apple estima que as receitas dos serviços e conteúdos online atinjam os 50 mil milhões de dólares até 2021. Numa recente conferência, a Apple confirmou aos analistas ter um total de 240 milhões de subscrições pagas, o que representa um crescimento de 58%, de acordo com a Bloomberg.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub