Banca & Finanças Assembleia da CGD não nomeou a nova equipa de gestão (act.)

Assembleia da CGD não nomeou a nova equipa de gestão (act.)

Os novos membros da comissão executiva da CGD e o novo chairman não foram nomeados na assembleia-geral que decorreu esta sexta-feira. "Não estava na ordem de trabalhos", é a justificação oficial. Na assembleia-geral a justificação dada foi "razões processuais".
Assembleia da CGD não nomeou a nova equipa de gestão (act.)
Cátia Barbosa/Negócios

A nomeação dos novos membros da equipa de gestão da CGD não aconteceu na assembleia-geral porque "não estava na ordem de trabalhos" e "as alterações estão dependentes de etapas processuais", disse ao Negócios fonte oficial do Ministério das Finanças. Esta foi a justificação dada para o facto de não ter sido decidida esta sexta-feira, como se esperava, a entrada para chairman Álvaro Nascimento e para comissão executiva de Ana Cristina Leal e Maria João Carioca.

 

Na assembleia-geral, segundo apurou o Negócios, a informação dada foi que o reforço da equipa não iria acontecer por "razões processuais".

 

Para completar a equipa de gestão da CGD é ainda preciso escolher dois administradores não executivos - um para substituir Pedro Rebelo de Sousa e outro para o lugar de Álvaro Nascimento que ascende a chairman. E, tal como o Negócios revela na sua edição em papel desta sexta-feira, a comissão executiva deverá ainda ser reforçada por outro administrador que o Governo pretende que seja um jurista.

 

Os membros da administração executiva da CGD que estavam de saída mantêm-se em funções até que seja tomada a decisão sobre a entrada de Ana Cristina Leal e Maria João Carioca para a Comissão Executiva e Álvaro Nascimento para chairman, os únicos nomes que se conhecem.

 

A urgência pedida à conhecida como Comissão Billhim (Cresap) para a aprovação dos três elementos já escolhidos pelo Governo, assim como o facto de Fernando Faria de Oliveira ter promovido um encontro de despedida com os directores, na quinta-feira, a par do adiamento da assembleia-geral de 9 de Maio para 31 de Maio indicam que o próprio accionista Estado esperava nomear pelo menos Álvaro Nascimento, Ana Cristina Leal e Maria João Carioca nesta assembleia-geral.

 

A assembleia geral da CGD acabou por apenas aprovar a nova carta de missão do banco público e as contas, em linha com o que estava estritamente na ordem de trabalhos. E não deliberou, contrariamente ao que foi sendo noticiado, sobre a nomeação dos novos elementos da administração que irão substituir Norberto Rosa e Rudolfo Lavrador na comissão executiva assim como o chairman Fernando Faria de Oliveira e os dois não executivos.

 

A nomeação dos novos membros da equipa de gestão pode ser agora feita por deliberação, não sendo necessária a convocação de uma nova assembleia-geral. Prevê-se que tal venha a ocorrer nas próximas semanas.

   

(Notícia actualizada pela segunda vez às 15:12 com a introdução do quinto parágrafo)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI