Imobiliário Ateneu de Lisboa mantém sede no Palácio dos Condes após acordo com investidor para "reabilitação total"

Ateneu de Lisboa mantém sede no Palácio dos Condes após acordo com investidor para "reabilitação total"

O Ateneu Comercial de Lisboa garantiu a manutenção da sua sede na Rua das Portas de Santo Antão após ter alcançado um acordo com um investidor. O espaço terá também uma componente imobiliária.
Ateneu de Lisboa mantém sede no Palácio dos Condes após acordo com investidor para "reabilitação total"
Lijealso
Pedro Curvelo 17 de julho de 2019 às 13:30

O Ateneu Comercial de Lisboa garantiu a manutenção da sua sede na Rua das Portas de Santo Antão após ter alcançado um acordo com um investidor, indicou esta quarta-feira a instituição.

O Ateneu encontra-se, desde 2012, num processo de insolvência e implementou um plano de recuperação judicial. Em comunicado, a instituição refere que "em consequência da insolvência o Ateneu está encerrado há mais de 10 anos e o Palácio dos Condes de Povolide apresenta atualmente um elevado estado de degradação".

O acordo alcançado com um "parceiro e investidor local" permite ao Ateneu manter-se no edifício histórico, para onde se mudou em 1895.

"A alternativa era o clube ficar sem sede, fechar de vez e extinguir-se definitivamente. Com a aceitação da nossa proposta junto do atual parceiro e investidor local será possível manter a sede do Ateneu nas suas históricas instalações, preservar algumas das suas atividades lúdicas e associativas bem como manter todo o seu espólio", assinala Joaquim Faustino, presidente do Ateneu, citado no comunicado. "Com esta solução logra-se também manter os postos de trabalhos dos nossos funcionários", acrescenta.

O projeto prevê a alteração do uso do edifício histórico, incluindo a sua "total reabilitação". A intenção é que coexistam três componentes no espaço: cultural, zonas verdes de utilização pública e imobiliária.

O Ateneu Comercial de Lisboa ficará proprietário de parte do palácio, "preservando a sua sede e com atividades lúdicas para os seus associados". A instituição pretende ainda "criar um espaço onde se possa expor o espólio de diversos clubes de bairro já desaparecidos da cidade de Lisboa, contribuindo assim para a preservação da memória e herança imaterial".

O projeto aloca parte do jardim do palácio para "fruição publica" e "ligará aquela zona de Lisboa ao jardim do Torel".

A arquiteta Ana Costa, responsável pelo projeto do Palácio dos Condes de Povolide, considera que "a oportunidade de poder participar num projeto que voltasse a dar dignidade ao palácio não apenas numa ótica de recuperação dos salões históricos mas sobretudo na recuperação dum modo de viver e da memória do "nosso Ateneu", foi um desafio especial".

"A ideia de encontrar uma combinação de usos que o devolva ao público e mais importante ainda, a preservação dum espaço "vivo" dedicado ao Ateneu e à preservação da memórias da cultura de clubes similares, é, sem dúvida, uma abordagem que nos interessa também como cidadãos", refere ainda.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI