Automóvel Audi e Volkswagen lançam campanhas "loucas" antes de subir o imposto automóvel

Audi e Volkswagen lançam campanhas "loucas" antes de subir o imposto automóvel

As marcas estão a acenar aos clientes com o agravamento do ISV, que entrará em vigor nas próximas semanas e que penalizará a maior parte dos modelos.
Audi e Volkswagen lançam campanhas "loucas" antes de subir o imposto automóvel
Bloomberg
António Larguesa 09 de março de 2016 às 20:07

A Audi e a Volkswagen lançaram esta semana duas campanhas promocionais em que seduzem os clientes para anteciparem a compra de automóvel e evitar assim o forte aumento do imposto sobre veículos (ISV) previsto no Orçamento do Estado para 2016, que deverá entrar em vigor no início de Abril.

 

A Vokswagen, a terceira marca que em Fevereiro mais carros vendeu em Portugal, tem a decorrer uma "Crazy Week" (semana louca) de 7 a 14 de Março, em que faz um apelo directo aos consumidores. "Aproveite os preços com o ISV actual". Além disso, a marca alemã acena ainda com uma oferta mais generosa na troca pelo carro usado e uma campanha de financiamento na compra de alguns modelos.

 

Também a Expocar arrancou esta quarta-feira, 9 de Março, com uma iniciativa agressiva de marketing e comunicação em que promete vender "o seu Audi antes do aumento do imposto automóvel", anunciado assim para os concessionários localizados no Centro de Congressos de Lisboa e de Leça da Palmeira, no concelho de Matosinhos.

 

"Não é uma Black Friday, são cinco", anuncia a empresa que incorpora as várias concessões desta marca pertencentes ao grupo SAG, um dos maiores do país na distribuição e comercialização automóvel. A alusão é feita a uma tradição importada e que ainda está a dar os primeiros passos em Portugal; a promessa é de cinco dias com mais de 200 viaturas "com preços e condições de financiamento exclusivas e ainda sem o valor do novo imposto automóvel".

 

Estas campanhas surgem numa altura em que, como o Negócios noticiou há dias, tem havido uma procura e uma movimentação acima do habitual nos stands, com os consumidores a tentarem antecipar a compra de carro e escapar assim ao aumento do ISV inscrito na proposta orçamental entregue a 5 de Fevereiro e que previa uma actualização em 3% na componente cilindrada e entre 10% e 20% na ambiental.

Impacto na estatística e no Parlamento

 

Em Fevereiro, a venda de automóveis (ligeiros e pesados) disparou 23,4% face ao mês homólogo, num total de 20.640 viaturas, segundo os dados da Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP). O secretário-geral, Hélder Barata Pedro, disse ao Negócios que esta progressão "já terá algum efeito" da resposta ao aumento do ISV, garantindo que a tendência "irá verificar-se" em Março.

 

Na discussão do Orçamento do Estado na especialidade, o PS avançou entretanto com uma proposta de alteração que revê a tabela para o cálculo da componente de CO2 dos veículos a gasolina, que traz um ligeiro alívio para os modelos de baixa cilindrada mas custa mais nos carros mais potentes, como demonstram as simulações já realizadas.

 

O Governo liderado por António Costa estima recolher 660,6 milhões de euros com o ISV, contando com o aumento da taxa e confiando na "tendência expectável de recuperação na venda de veículos automóveis, acompanhando a tendência verificada neste imposto em 2015". Ao novo valor do ISV ainda é aplicado o IVA a 23%, reforçando assim ainda mais a receita fiscal para o Estado.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI