Concorrência & Regulação Autoridade da Concorrência teme destruição de prova com novo supervisor
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Autoridade da Concorrência teme destruição de prova com novo supervisor

Dificuldades legais e possíveis constrangimentos à independência. Estes são dois receios transmitidos pela Autoridade da Concorrência caso a reforma da supervisão financeira, a concretizar pelo Governo, traga alterações às suas funções e ao modelo de financiamento.
Autoridade da Concorrência teme destruição de prova com novo supervisor

A Autoridade da Concorrência (AdC) teme a entrada de um novo protagonista no campo da concorrência, uma possibilidade aberta no anteprojecto para a reforma da supervisão financeira. Atrasos nas investigações e, até

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 28.02.2018

Todos os reguladores com medo de concorrência... Na realidade, há reguladores a mais, alguns deviam fundir-se como a Autoridade da Concorrência com a CMVM e os Seguros

ccc 28.02.2018

Dividir para reinar, ou seja: baralhar para enganar o povo mais uma vez. Então a Santa Casa entrar no capital do Montepio é que vai ser: mais um roubo legal: meter dinheiro num banco falido para ser roubado e enfiado no bolso dos credores do Montepio. O BE anda distraido com os CTT e o roubo segue!

ZéToino 28.02.2018

e para quando os resultados da investigação sobre o aumento concertado pelos bancos das comissões que cobram as clientes???
Oh Belinha, não me diga que também perdeu o dossier!
(ou que pensa fazê-lo...)

Anónimo 28.02.2018

Oh Belinha então tu não vês que se está a preparar uma vaquinha social de esquerda.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub