Energia Avaliação da Aramco estará 500 mil milhões de dólares abaixo da estimada pelo Governo

Avaliação da Aramco estará 500 mil milhões de dólares abaixo da estimada pelo Governo

A petrolífera Aramco poderá ter uma avaliação inferior aos 2 biliões de dólares estimados anteriormente pelo Governo da Arábia Saudita, revelam ao Wall Street Journal membros da equipa que está a preparar o IPO.
Avaliação da Aramco estará 500 mil milhões de dólares abaixo da estimada pelo Governo
Reuters
Negócios 25 de abril de 2017 às 12:41

A gigante petrolífera Saudi Aramco poderá ter uma avaliação inferior aos 2 biliões de dólares estimados pelo Governo da Arábia Saudita. A informação foi divulgada por responsáveis da equipa que está a liderar a oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) ao Wall Street Journal.

De acordo com as mesmas fontes, que preferiram não ser identificadas, a avaliação ronda os 1,5 biliões de dólares, ou seja, 500 mil milhões de dólares a menos face às estimativas apontadas pelo Governo.

A diferença do montante corresponde, por exemplo, à soma do valor da Amazon e da Netflix. No entanto, continua a ser o valor mais elevado de sempre de um IPO.

A discrepância de avaliação levanta assim novos desafios à operação anunciada no ano passado e que estará a enfrentar oposição por parte de algumas fileiras do Governo, conta o mesmo jornal.

Desde que príncipe Mohammed bin Salman (na foto) anunciou os planos para o IPO, bem como a avaliação estimada, os valores têm sido questionados por quadros da petrolífera bem como por analistas externas.

Para ultrapassar estas barreiras, cerca de duas dúzias de trabalhadores têm tentado deste o ano passado estruturar o IPO, que irá passar pela venda de 5% da empresa. E em conjunto com consultores ocidentais estão também a explorar novas formas de reestruturar a Aramco de modo a maximizar o seu valor, segundo as mesmas fontes.

De acordo com documentos internos da petrolífera, a que o WSJ teve acesso, a equipa determinou algumas variáveis que poderão afectar o preço que os investidores pagarão pelas acções da maior produtora de petróleo do mundo.

O IPO faz parte do plano do príncipe Mohammed bin Salman de constituir o maior fundo soberano do mundo e

angariar milhões de dólares para investir noutras indústrias de modo a reduzir a dependência do petróleo. Se cumprir as expectativas do reino, será o maior IPO de sempre, superando o da Alibaba.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI