Banca & Finanças Banca questiona dinheiro pedido pelo Novo Banco

Banca questiona dinheiro pedido pelo Novo Banco

Os bancos estão a questionar os montantes pedidos pelo Novo Banco ao Fundo de Resolução, mecanismo que é comparticipado pelas instituições financeiras, avança o jornal Público. Em causa está o facto de a generalidade dos bancos estar a registar melhorias, e isso não se estar a sentir no banco nascido da resolução do BES.
Banca questiona dinheiro pedido pelo Novo Banco
Vítor Mota
Negócios 07 de março de 2019 às 08:39

O Novo Banco fechou 2018 com um prejuízo de 1.412 milhões de euros, revelou a instituição liderada por António Ramalho na semana passada. Na mesma altura revelou que, tendo em conta os números do ano passado, vai pedir 1.149 milhões de euros ao Fundo de Resolução para reforçar os rácios de capital. 

 

E os bancos, que são quem contribui para o Fundo de Resolução. E é este fundo que ficou "encarregue" de "financiar"uma rede de 3,89 mil milhões de euros a que o Lone Star – que comprou o Novo Banco – poderia recorrer para se proteger da desvalorização dos ativos. Mas este mecanismo só deveria ser acionado em casos pontuais e extremos. E é o que a banca considera que não está a ser cumprido, questionando o que está a ser feito, revela o Público.

 

As instituições financeiras têm registado melhorias nos seus números e redução das imparidades. Um cenário oposto ao do Novo Banco. E este contexto levanta dúvidas, adianta o mesmo jornal.

 

Ainda este domingo, o comentador político Marques Mendes realçou que a situação no Novo Banco "é tudo profundamente imoral", ainda que legal. A almofada de 3,9 mil milhões de euros que foi criada na altura "estava prevista como uma solução de último recurso. E a sensação que existe é que está a ser usada pelo dono do banco como ‘primeiro recurso’. Porque é dinheiro fácil. Ou seja: é uma atitude legal mas é profundamente imoral."




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI