Empresas BB Gourmet vai criar 100 empregos em Matosinhos

BB Gourmet vai criar 100 empregos em Matosinhos

O grupo BB Gourmet, que detém cinco restaurantes no Porto, vai entrar na guerra aos híperes no negócio da comida pronta a levar. Pretende investir três milhões de euros em Matosinhos para produzir 15 mil refeições por dia.
BB Gourmet vai criar 100 empregos em Matosinhos
Paulo Duarte
Rui Neves 03 de junho de 2018 às 22:00

Depois de terem travado os gastos com restaurantes nos tempos da crise, os portugueses regressaram ao hábito de fazer refeições fora de casa e a procurar cada vez mais comida pronta a consumir. É neste último negócio, onde os hipermercados têm investido fortemente e com bons resultados, que o grupo BB Gourmet vai entrar em força.

Dono de cinco restaurantes da marca no Porto, o casal Jorge e Fernanda Santos comprou um terreno de seis mil metros quadrados na Senhora da Hora, em Matosinhos, perto do NorteShopping, onde pretende abrir uma Fábrica Artesanal Central de Refeições e Pastelaria, num investimento estimado em três milhões de euros.

"A ‘guerra’ foi declarada pelos híperes, quando começaram a abrir cafés e restaurantes dentro dos seus estabelecimentos. O nosso objectivo é ter uma qualidade [de comida] imbatível com o melhor preço possível", enfatizou Jorge Santos, em entrevista ao Negócios. A nova fábrica de comida pronta, "com capacidade para produzir cerca de 15 mil refeições por dia", deverá entrar em obra "no próximo ano e começar a funcionar em 2021".

Com este novo negócio em operação, o empresário espera vir a consolidar, na área da restauração, uma facturação na ordem dos 10 milhões de euros, e duplicar o efectivo para duas centenas de trabalhadores. Dos cerca de 100 profissionais que prevê contratar para a nova fábrica de comida em Matosinhos, Santos estima que 40 sejam cozinheiros e 16 pasteleiros.

No ano passado, os seus cinco restaurantes, situados  nas zonas do Campo Alegre, Boavista, Antas, Bolhão e Cedofeita, "serviram cerca de mil refeições por dia e facturaram 3,5 milhões de euros". Uma performance que traduz um "crescimento anual de 20%, nos últimos anos", afiançou Jorge Santos, que também é vice-presidente da associação do sector Pro.Var e esteve directamente envolvido nas negociações com o Governo para baixar o IVA da restauração para 13%, em 2016.

Aposta no alojamento local
O casal Jorge e Fernanda Santos também está a investir no negócio do alojamento local. A estreia aconteceu há três anos, com a abertura do primeiro Oporto Serviced Apartments  (apartamentos com serviço de hotel e restauração), em Cedofeita, instalado num edifício de 1858, que foi reabilitado e que é composto por oito fracções e um restaurante BB Gourmet. Seguiu-se, no ano passado, a inauguração de mais um aparthotel, com meia dúzia de apartamentos, na Rua de Álvares Cabral. Investimento nestes dois empreendimentos: dois milhões de euros.
Outros dois milhões estão agora a investir, numa parceria com o grupo M. dos Santos, no Oporto Serviced Apartments Miragaia, situado em frente ao Edifício da Alfândega, que é constituído por 14 apartamentos e tem abertura prevista para Setembro próximo.

Fortuna com venda à Tech Data

 Jorge Santos, de 59 anos, tornou-se economista pela Faculdade de Economia do Porto, onde conheceu a sua esposa, Fernanda. Após dois anos como responsável pelo plano de investimentos da Sonae, tendo sido o responsável pelo estudo económico-financeiro do primeiro hipermercado Continente, em Matosinhos, aliou-se à mulher na entrada no negócio da informática. O casal criou a Beremiz e a Micrograf, que viriam a vender, no final de 1999, à norte-americana Tech Data, onde trabalharam seis anos. Seguiu-se o negócio da restauração, em 2007, com a compra do Maiorca, o seu primeiro BB Gourmet, situado na zona do Campo Alegre. 




pub