Banca & Finanças BEI concede empréstimo de 150 milhões de euros à CGD

BEI concede empréstimo de 150 milhões de euros à CGD

O Banco Europeu de Investimento concedeu a segunda parcela - no valor de 150 milhões de euros - de um empréstimo total de 300 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos. A verba destina-se ao apoio às pequenas e médias empresas.
BEI concede empréstimo de 150 milhões de euros à CGD
Negócios 31 de janeiro de 2018 às 10:40

O Banco Europeu de Investimento (BEI) atribuiu um empréstimo no valor de 150 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos (CGD) para "o financiamento de projectos de investimento implementados por pequenas e médias empresas portuguesas". O comunicado enviado às redacções pelo BEI explica que esta é a "última parcela de um empréstimo total de 300 milhões de euros que o BEI concedeu à CGD para o financiamento, em termos mais vantajosos para as empresas, com o objectivo de promover o crescimento económico e a criação de emprego em Portugal".

O BEI adianta ainda que "cerca de 30% dos fundos totais" podem ser canalizados para o financiamento de pequenos projectos "implementados por entidades do sector público". "A CGD compromete-se a complementar o financiamento do BEI com, pelo menos, o mesmo montante, proporcionando, assim, um financiamento total de 300 milhões de euros para PME".

"As PME beneficiarão, com esta linha, acesso ao financiamento de longo prazo em condições mais favoráveis para os seus investimentos e necessidades de fundo de maneio, na medida em que a CGD terá condições mais vantajosas de financiamento a longo prazo", refere ainda a nota.

Román Escolano, vice-presidente do BEI, disse durante a cerimónia de assinatura do empréstimo, segundo o comunicado que: "este empréstimo contribuirá para facilitar o acesso ao crédito para as PME portuguesas, que representam cerca de 80% do emprego total em Portugal". "Estamos confiantes de que a capacidade de financiamento fornecida pelo BEI com este empréstimo terá um impacto directo positivo no crescimento e na criação de emprego", sublinhou ainda.

Paulo Macedo, CEO do banco público, defendeu, por sua vez que "a Caixa quer crescer na quota de empréstimos às PME e esta linha é uma excelente opção à disposição dos empresários". 




pub