Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Berardo entrega queixa-crime contra o BCP

Joe Berardo tem pronta uma queixa-crime contra administradores do BCP por alegada prática dos crimes de infidelidade aos accionistas e burla. Ao que o Diário Económico apurou, o actual presidente do conselho de administração do banco, Filipe Pinhal, bem c

Negócios negocios@negocios.pt 13 de Dezembro de 2007 às 07:42
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Joe Berardo tem pronta uma queixa-crime contra administradores do BCP por alegada prática dos crimes de infidelidade aos accionistas e burla. Ao que o Diário Económico apurou, o actual presidente do conselho de administração do banco, Filipe Pinhal, bem como o vice-presidente Christopher de Beck, deverão ser directamente visados nesta queixa-crime.

Hoje, às 17h00, quando der entrada nas instalações da Procuradoria-Geral da República (PGR), situada na Rua da Escola Politécnica, para uma audiência com Pinto Monteiro, o investidor estará em condições de formalizar a queixa e só não o fará se o procurador considerar perfeitamente inusitada a argumentação, bem como documentos recolhidos.

"A queixa-crime está pronta e será entregue, amanhã, ou no dia seguinte, isso, dependerá da conversa entre Pinto Monteiro e Joe Berardo, bem como da disponibilidade dos serviços", adiantou uma fonte contactada pelo Diário Económico.

Na sua opinião, o investidor, um dos principais accionistas do BCP, com cerca de 7% do capital, só não avançará se o procurador-geral da República não encontrar qualquer relevância no assunto. "Pode acontecer, mas parece-me um cenário altamente improvável", acrescentou o mesmo responsável.

Pinto Monteiro aceitou receber Berardo, na sequência das denúncias que este fez sobre alegadas irregularidades praticadas pela administração do banco. O accionista do BCP acusou o ‘management’ do maior banco privado português de alegada manipulação de mercado, de ter gasto mais de 500 milhões de euros para, através de 17 ‘offshores’, nivelar as cotações do banco durante períodos críticos para a instituição, nomeadamente, em 200o e 2001, por altura dos aumentos de capital.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias