Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Berardo “satisfeito” com comparação com Horatio Alger

A descrição que a revista Fobers faz de Joe Berardo agradou ao investidor português que se diz "satisfeito" por ser comparado com Horatio Alger "um homem que também se preocupa com as outras pessoas".

Maria João Soares mjsoares@negocios.pt 06 de Março de 2008 às 11:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A descrição que a revista Fobers faz de Joe Berardo agradou ao investidor português que se diz "satisfeito" por ser comparado com Horatio Alger "um homem que também se preocupa com as outras pessoas".

O comendador não quis comentar o valor atribuído pela revista à sua fortuna, 1,8 mil milhões de dólares dizendo que "não sei como eles fazem essas contas" mas "o que interessa é a pessoa viver bem".

"Fico muito contente com a comparação que a Forbes faz com um homem que está preocupado com as outras pessoas", disse ao Jornal de Negócio Online lembrando que a fundação que dirige também tem esse objectivo "distribuindo muitas bolsas de estudo todos os anos".

As declarações de Berardo vêm a propósito da entrada para a lista dos homens mais ricos do mundo, na 677ª posição.

Na descrição que faz de Berardo, a Revista Forbes (lembrando que é conhecido por Joe) diz que o investidor é o Horatio Alger português.

Horatio Alger, de acordo com a Wikipedia, foi um escritor do século XIX, que ficou conhecido por contar histórias de jovens que foram capazes de conquistar o sonho americano, através de "trabalho duro, coragem, determinação e preocupação com os outros".

Berardo diz que gosta de "defender os accionistas minoritários", lembrando a actuação no BCP em que teve um papel de destaque no ataque à equipa liderada por Jorge Jardim Gonçalves cuja actuação está a ser investigada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e pelo Banco de Portugal.

"Fiquei satisfeito por ter ajudado a resolver a situação de abuso que se vivia no Millennium BCP e ter defendido os accionistas minoritários", disse Joe Berardo.

Berardo disse ainda que continua e vai continuar a investir em arte e a "proteger algumas colecções".

Outras Notícias