Aviação Berlim vai ter um novo aeroporto... com nove anos de atraso

Berlim vai ter um novo aeroporto... com nove anos de atraso

O responsável pelo aeroporto e a Lufthansa mostram-se confiantes na última data de inauguração adiantada, embora esta já tenha sido revista por dez vezes.
Berlim vai ter um novo aeroporto... com nove anos de atraso
Ana Batalha Oliveira 02 de dezembro de 2019 às 15:01

O aeroporto de Berlim Brandenburg deverá estar pronto para inaugurar em outubro do próximo ano, nove anos depois da data inicialmente prevista, avança a imprensa alemã.

A reputação da Alemanha como uma nação que prima pela eficiência contrasta com o processo de abertura de um novo aeroporto em Berlim, o qual foi adiado sucessivas vezes ao ponto de se ter arrastado por nove anos.

A primeira data de inauguração anunciada foi março de 2011, à qual se seguiram dez outras – todas falhadas. Enquanto se somavam as datas de abertura, o orçamento também foi crescendo: os 2,83 mil milhões de euros já vão, atualmente, nos 7 mil milhões.

A construção começou em 2006, depois de 15 anos de planeamento. A nova infraestrutura surgiu como reforço dos mais antigos e mais pequenos aeroportos de Tegel e Schonefeld.

O responsável pelo aeroporto, Engelbert Lütke Daldrup, disse estar certo de que os primeiros aviões aterrarão em Berlim Brandenburg no dia 31 de outubro de 2020 e escusou-se a comentar o fecho do aeroporto de Tegel, um passo que é considerado parte da fase final da inauguração da nova infraestrutura, e o qual deverá acontecer uma semana depois.

Já o presidente do conselho de supervisão do novo aeroporto, Rainer Bretschneider, apontou para obstáculos que teriam de ser rapidamente colmatados de forma a conseguir cumprir este último prazo. A Lufthansa, que deverá ser a segunda companhia aérea com mais voos a partir deste aeroporto, acolheu o anuncio da nova data de lançamento como "um bom sinal", e acrescentou que os operadores fizeram uma promessa firme de concretizar este novo prazo.

A turbulência que abalou o aeroporto

Foram vários os motivos que levaram ao atraso da conclusão do terceiro aeroporto da capital alemã. O primeiro surgiu em 2010, quando a empresa responsável pela construção faliu. Dois anos depois, foram detetados problemas relevantes em termos da proteção contra fogos e do sistema de alarme, uma debilidade que se prolonga até ao momento.

Em 2014, o grande aumento que se verificou no fluxo aéreo para a capital alemã obrigou a um redesenhar do aeroporto, de forma a prepará-lo para receber uma maior capacidade desde o momento zero, da abertura. No ano seguinte, um caso de corrupção: um antigo operador do aeroporto de Bradenburgo foi condenado por aceitar subornos da Imtech, a empresa que tinha construído o sistema de proteção em caso de incêndio.

O último problema foi encontrado no ano passado, pela emersa Tüv, encarregue de testar a segurança: foram identificadas 800 violações no complexo de cabos da estrutura.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI