Media Bertelsmann quer ultrapassar os mil milhões de euros de lucro dentro de dois anos

Bertelsmann quer ultrapassar os mil milhões de euros de lucro dentro de dois anos

O grupo que detém a rede RTL e a editora Penguin Random House lucrou 870 milhões de euros em 2013 e colocou uma fasquia mais elevada para o período de 2016 a 2018: lucrar mais de mil milhões e facturar pelo menos 20 mil milhões de euros por ano.
Bertelsmann quer ultrapassar os mil milhões de euros de lucro dentro de dois anos
Bloomberg
Miguel Prado 26 de março de 2014 às 10:24

O grupo alemão Bertelsmann pretende ultrapassar a marca dos mil milhões de euros de lucro no período a partir de 2016, tendo também estabelecido o objectivo de, entre 2016 e 2018, elevar as suas receitas anuais para 20 mil milhões de euros, anunciou o presidente executivo (CEO), Thomas Rabe.

 

Em 2013 a Bertelsmann teve receitas de 16,4 mil milhões de euros, acima dos 16 mil milhões de 2012. O EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) subiu de 2,2 para 2,3 mil milhões de euros. O resultado líquido, por seu lado, subiu de 612 para 870 milhões de euros, segundo o relatório e contas publicado esta quarta-feira.

 

O grupo, que globalmente emprega mais de 111 mil pessoas, é a maior companhia europeia do sector dos media, e os seus activos incluem a rede RTL, a editora discográfica BMG e as editora de livros Penguin Random House. Segundo a agência Bloomberg, a Bertelsmann tem 3 mil milhões de euros para investir em aquisições nos próximos anos.

 

China, Índia e Brasil são alguns dos mercados em que a Bertelsmann quer crescer, mas há outros, como a Rússia, que o grupo descarta. Segundo Thomas Rabe, a Bertelsmann não planeia entrar na Rússia em nenhuma das suas linhas de negócio. O grupo saiu do mercado russo de televisão no ano passado por ser “difícil” aos media operar nesse domínio, explicou o CEO da Bertelsmann.

 

Em 2010 a Bertelsmann vendeu alguns dos seus activos em Portugal, entre os quais a Bertrand e o Círculo de Leitores, então adquiridos pela Porto Editora. O grupo alemão permanece ainda com quatro negócios no mercado português, nomeadamente a Ilimitada Pub, a All Media Edições, a Motor Press Lisboa e a Arvato Portugal.




Saber mais e Alertas
pub