Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa suspende negociação da Triunfo; levantamento da suspensão sem data (act.)

A BVLP suspendeu hoje as acções da Fábrica Triunfo, que só negociaram a partir das 16h00. A BVLP veio posteriormente anunciar nova suspensão, sem data de levantamento, após o fecho do mercado.

Bárbara Leite 24 de Agosto de 2001 às 20:47
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

(actualiza com novas informações da BVLP)

A Bolsa de Valores de Lisboa e Porto (BVLP) suspendeu hoje as acções da Fábrica Triunfo, que só negociaram a partir das 16h00, e alertou os investidores para adquirem mais informações antes de investirem naquela empresa, numa sessão em que a Triunfo estaria a registar valorizações na ordem dos 30%, disse fonte oficial da BVLP ao Negocios.pt. A BVLP veio posteriormente anunciar nova suspensão, sem data de levantamento, após o fecho do mercado.

«A supervisão da BVLP achou prudente proceder à suspensão do “fixing” da 13h das acções da Triunfo, após as ofertas que estavam a ser registadas» indicarem subidas de 27%, explicou fonte oficial da BVLP ao Negocios.pt.

Da parte da manhã, as ordens de compra sobre a Triunfo atingiram os 1,30 euros (261 escudos), o que traduzia uma subida de cerca de 30% face à sessão anterior.

A suspensão foi acompanhada de um alerta dado através de avisos nos terminais de operadores de mercado que davam a indicação para a tomada de conhecimento aos investidores dos comunicados emitidos pela Triunfo no âmbito de uma operação harmónio - de redução e subsequente aumento de capital - que ainda não foi registada.

Sem explicações, a BVLP remeteu os investidores para a leitura dos comunicados veiculados pela Triunfo até 31 de Julho de 2001.

Contactados, os operadores de mercado dizem que o mercado está na expectativa de novidades favoráveis à empresa, pelo que está a «puxar a sua cotação para cima».

Com esta medida, a Bolsa «quis refrear o entusiasmo dos investidores», acrescentaram os mesmos operadores.

No passado dia 13 de Agosto passado, a Fábrica Triunfo veio afirmar que a Nutriveste por passar a deter 94,89% do seu capital no recente aumento de capital daquela empresa teria que lançar uma oferta pública de aquisição (OPA) de exclusão e o preço seria de 5 euros (1.002 escudos) por acção, o mesmo subscrito do aumento de capital.

A Nutriveste foi o único accionista que acorreu à subscrição do aumento de capital pelo facto da subscrição ter sido realizada a 5 euros (1.002 escudos) por acção, numa altura em que as acções em Bolsa cotavam em 0,49 euros (98 escudos).

Quanto ao eventual lançamento de uma OPA sobre a Triunfo ou mais explicações sobre a operação harmónio da fábrica de bens de consumo, fonte oficial da BVLP escusou-se a prestar mais declarações por esses esclarecimentos ainda não terem sido prestados pela partes envolvidas.

BVLP anuncia nova suspensão; levantamento sem data

A BVLP, posteriormente ao encerramento da sessão de hoje, anunciou que as acções da Triunfo irão permanecer suspensas de cotação «após a realização do registo na Conservatória do Registo Comercial da redução do capital social», relativo a uma operação de reestruturação de capital e saneamento financeiro decidida recentemente pela empresa.

O capital social da Triunfo será reduzido dos 25 milhões de euros (5,01 milhões de contos) para os 2,5 milhões de euros (501 mil contos), sendo posteriormente aumentado para os 28,5 milhões de euros (5,71 milhões de contos), de acordo com as decisões da assembleia geral (AG) de accionistas da empresa, realizada a 31 de Maio.

«O levantamento da interrupção da negociação das acções resultantes da operação ocorrerá mediante aviso publicado em Boletim de Cotações, assim que se encontrar regularizada a situação», segundo o comunicado divulgado no Boletim de Cotações de hoje da BVLP.

As acções da Triunfo subiram 121% desde o inicio do mês e ontem desde ontem, as acções chegaram a valorizar cerca de 60%.

Na sessão de ontem, a Triunfo fechou a subir cerca de 26% para os 1,2 euros (204 escudos).

As acções da Triunfo, após ter sido levantada a suspensão às 16h, encerraram nos 1,04 euros (209 escudos) a subir 1,96% face à sessão anterior.

Mais lidas
Outras Notícias