Media BPI: Suspensão de canais SIC pela ZAP é um "importante revés” para a Impresa

BPI: Suspensão de canais SIC pela ZAP é um "importante revés” para a Impresa

O corte da SIC Internacional e Notícias pela operadora de Isabel dos Santos é “um importante retrocesso” para a Impresa, segundo os analistas do BPI. E vai tornar “muito difícil monetizar” o novo canal dedicado a África.
BPI: Suspensão de canais SIC pela ZAP é um "importante revés” para a Impresa
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Ribeiro 15 de março de 2017 às 15:36

A operadora de televisão ZAP deixou de distribuir desde terça-feira os canais SIC Notícias e SIC Internacional em Angola e Moçambique. O corte do sinal destes canais do grupo Impresa aconteceu depois de recentemente terem divulgado reportagens críticas ao regime de Luanda, como noticiou a agência AFP.

Para os analistas do BPI, a decisão da operadora da empresária Isabel dos Santos, e que tem a Nos como accionista com 30% do capital, "é um importante retrocesso para a Impresa".

De acordo com a nota emitida pelos analistas do BPI, que o Negócios teve acesso, este passo afecta o grupo de media "que está a fazer uma forte aposta para crescer internacionalmente e lançou recentemente um canal dedicado a África, que agora será muito difícil monetizar sem acesso à plataforma ZAP", explicaram.

Na segunda-feira a grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão anunciou que tinha lançado o canal SIC Internacional África. Após as notícias relativas à suspensão deste canal e da SIC Notícias pela ZAP, o presidente executivo da Impresa esclareceu que as razões que levaram a este passo "são alheias" à empresa portuguesa. "A SIC Internacional África é uma aposta que foi lançada ontem e, lamentavelmente, não estamos em todas as plataformas que gostaríamos", lamentou.

Francisco Pedro Balsemão mostrou-se, contudo, confiante que os canais voltem a ser integrados nos pacotes da operadora, sublinhando estar certo que "no futuro isso voltará a acontecer". 

Na primeira hora após a abertura da sessão bolsista os títulos da Impresa chegaram a cair quase 4%, ainda que agora sigam estáveis.

A ZAP continua a distribuir os canais SIC Radical, SIC Mulher, SIC K e SIC Caras em exclusivo para os mercados angolano e moçambicano, segundo a Impresa. 

Contactado na terça-feira pela AFP, António Miguel, representante da ZAP, explicou apenas que a SIC Notícias e SIC Internacional "já não fazem parte do pacote distribuído pela Zap devido a uma mudança da grelha de difusão dos programas".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI