Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BPI remodela balcões mantendo crescimento nulo nos custos; afasta aumento de capital

O BPI prevê remodelar 100 balcões até ao final de 2003, mantendo o crescimento nulo nos custos, disse Santos Silva, presidente do banco, afastando novo aumento de capital e reiterando os rácios de eficiência nos 50% em 2004.

Negócios negocios@negocios.pt 30 de Outubro de 2002 às 15:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O BPI prevê remodelar 100 balcões até ao final de 2003, mantendo o crescimento nulo nos custos, disse Santos Silva, presidente do banco, afastando novo aumento de capital e reiterando os rácios de eficiência nos 50% em 2004.

Em conferência de imprensa, o BPI anunciou o lançamento de um novo conceito de balcões, com zonas automáticas e novas zonas de atendimento diferenciadas. Até ao momento, foram remodelados 22 balcões, prevendo-se que «até ao final de 2003 sejam remodelados 100 balcões», afirmou Fernando Ulrich, vice-presidente do BPI.

O banco passará a disponibilizar espaço de Internet com acesso ao BPI Net, máquina de depósito inteligente, máquina de dispensação de cheques e caixas multibanco.

No balcões serão instaladas 120 máquinas de depósito inteligente, até ao próximo ano, bem como, 50 máquinas de dispensação de cheques na mesma data, referiu a mesma fonte.

Ao abrigo do novo conceito, o banco vai criar centros de investimento, área reservada a clientes com mais de 100 mil euros de património. No final do primeiro semestre, o banco espera ter a funcionar oito destes centros.

Este novo conceito pretende «melhorar a qualidade do serviço prestado», aumentando a quota de mercado em Portugal.

«Os nossos objectivos mantêm-se de deter uma quota de 15% do negócio bancário», explicou Fernando Ulrich, adiantando que esta meta já tinha em conta a remodelação dos balcões.

BPI mantém meta de ROE crescer para 17% em 2004

Sem querer especificar o montante investido na remodelação dos balcões, Ulrich afirmou que o rácio de eficiência (cost-to-income) será cortado para os 50%, até 2004 a par do crescimento do retorno dos capitais próprios (ROE) para 17% na mesma data.

Esta remodelação não vai afectar o objectivo de crescimento nulo dos custos desde 2001, referiu Ulrich.

«Este será um programa gradual, porque o esforço seria muito significativo», disse Santos Silva, acrescentando que esta remodelação «está compaginada com a nova realidade do banco (de crescimento nulo nos custos)».

Esta iniciativa afecta as amortizações do banco, uma das componentes dos custos da instituição. O BPI contabiliza, por ano, cerca de 45 milhões de euros em amortizações.

A redução de recursos humanos acima do objectivo inicial divulgada na apresentação de resultados do terceiro trimestre deste ano permitirá «fazermos mais investimentos», acrescentou o mesmo responsável.

O banco, que detém 488 balcões, estima reduzir cinco balcões até ao final do ano, com a abertura de dois novos e o encerramento de sete da actual rede.

Banco afasta aumento de capital

O banco está confortável com a estrutura de capital próprio e com os rácios de solvabilidade.

«Nunca deixámos de estar confortáveis com o nosso capital próprio», sendo que «fizemos um aumento de capital em Maio», revelou Ulrich.

O banco «neste momento não (precisamos de mais capital)», adiantou a mesma fonte.

BPI procura parceiros para banco em Angola

O BPI procura parceiros «locais ou estrangeiros» para o banco em Angola, confirmou hoje BPI.

«É uma hipótese que foi considerada ao longo da concepção do banco que pudéssemos vir a ter parceiros quer locais quer internacionais», disse Ulrich

No entanto, o banco não está em negociações para esse efeito.

«Temos estado a abrir balcões em Angola (detendo cinco) e estamos muito animados com actividade em Angola», sublinhou a mesma fonte.

As acções do BPI cotavam nos 2 euros a cair 0,99%.

Por Bárbara Leite

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias