Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Brisa atenta a privatizações na Alemanha e Áustria; sem acordo com Acesa e Autostrade

A Brisa «acompanha o que se passa nas privatizações na Europa», embora não sejam mercados prioritários, disse fonte da empresa ao Negocios.pt, afirmando que «não há qualquer acordo» com a Acesa e a Autoestrade para o efeito.

Bárbara Leite 19 de Agosto de 2002 às 19:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Brisa «acompanha o que se passa nas privatizações na Europa», embora não sejam mercados prioritários, disse fonte oficial da concessionária ao Negocios.pt, afirmando que «não há qualquer acordo» com a Acesa e a Autoestrade para esse efeito.

A espanhola Acesa e a italiana Autostrade vão reforçar a sua aliança, concorrendo em conjunto às concessões de novas auto-estradas na Europa Central, sobretudo na Alemanha e na Áustria, noticiou o jornal espanhol «Cinco Dias».

Contactada, fonte oficial da Brisa, destacou que a prioridade da empresa nacional é a «consolidação das actividade no Brasil», onde controla 17% da Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) e investimentos em Espanha.

Numa fase posterior, a Brisa [BRISA] admite interesse em participar em operações, com parceiros, «em países da Europa de Leste» quando estes entrarem na União Europeia (UE), disse a referida fonte.

Outros dos vectores estratégicos da Brisa, no âmbito da política de internacionalização, é «acompanhar o que se passa nas privatizações na Europa», acrescentou a mesma fonte.

A Acesa é a segunda maior accionista da Brisa [BRISA], com uma participação de 10%, tendo a empresa nacional uma posição inferior a 1% no capital da empresa italiana.

Neste sentido, o mesmo responsável referiu que «não há qualquer acordo» com estes congéneres, escusando-se a avançar o eventual interesse da Brisa nesta matéria.

A Acesa controla 3,85% da Autostrade e tem uma empresa comum com a companhia italiana, a Saba Itália, que conta com um plano de investimentos de 11 milhões de euros.

As acções da Brisa encerraram nos 5,28 euros, a subir 1,54%.

Ver comentários
Outras Notícias