Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Brisa garante dividendo mínimo de 0,22 euros no exercício de 2003

A Brisa garantiu, no «Investor Day», que se realizou no dia de hoje, a atribuição mínima de um dividendo de 0,22 euros por acção relativo ao exercício de 2003, apesar da quebra nos lucros verificada nos primeiros nove meses do ano.

Bárbara Leite 31 de Outubro de 2003 às 18:10
  • Partilhar artigo
  • ...

A Brisa garantiu, no «Investor Day», que se realizou no dia de hoje, a atribuição mínima de um dividendo de 0,22 euros por acção relativo ao exercício de 2003, apesar da quebra nos lucros verificada nos primeiros nove meses do ano.

Num encontro em que participou toda a comissão executiva, a concessionária de auto-estradas admitiu pagar em dividendos relativos a 2003, «pelo menos os valores atribuídos em 2002», disse ao Canal de Negócios, um analista do sector.

A operadora reitera assim a política agressiva dos dividendos, apesar da quebra nos lucros verificada este ano. Nos primeiros nove meses deste ano, a Brisa registou resultados líquidos positivos de 121,8 milhões de euros, o que traduz uma quebra de 39% face a idêntico período de 2002.

Na reunião com analistas, a Brisa reafirmou o objectivo de alcançar um crescimento de 10% nos lucros antes de impostos, no final deste ano e os investimentos na Litoral Centro. A nova auto-estrada liga a Marinha Grande, onde tem ligação com a A8 da Auto-Estradas do Atlântico, passando pela Figueira da Foz e tem um investimento previsto de 600 milhões de euros.

A Brisa aproveitou a ocasião para explicar aos analistas o funcionamento de uma concessionária, como é desenvolvido a actividade de exploração, construção e manutenção de estradas. E deu a conhecer as contas da concessionária no terceiro trimestre.

Brisa disponível para sair da ONI

Em resposta às perguntas dos analistas e investidores, Vasco de Mello, presidente da Brisa admitiu ainda que estava disponível para vender a sua posição de 17% na ONI, quando houvesse uma oferta pública de venda inicial (IPO).

O responsável disse que, com esta declaração, não se concluísse que estava prevista essa operação, de dispersão de capital da operadora de telecomunicações, detida a 56% pela Electricidade de Portugal (EDP).

A própria eléctrica chegou a admitir dispersar capital da participada nas telecomunicações para que o mercado de capitais passasse a ser o meio de financiamento da empresa.

As acções da Brisa encerraram nos 5,38 euros, a cair 0,37%, enquanto a EDP fechou nos 1,95 euros, a cair 0,51%.

Outras Notícias