Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Caixa BI aumenta avaliação da Galp Energia para 21,50 euros

O Caixa BI reviu em alta de 21% a avaliação da Galp Energia, atribuindo aos títulos da petrolífera um "target" de 21,50 euros em resultado do aumento das estimativas do preço do barril de petróleo de 60 para 100 dólares, no longo-prazo. A recomendação con

Paulo Moutinho 01 de Abril de 2008 às 19:21
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Caixa BI reviu em alta de 21% a avaliação da Galp Energia, atribuindo aos títulos da petrolífera um "target" de 21,50 euros em resultado do aumento das estimativas do preço do barril de petróleo de 60 para 100 dólares, no longo-prazo. A recomendação continua a ser "comprar".

"Esta alteração [no preço da matéria-prima] adiciona 3,80 euros ao nosso preço-alvo para o final de 2008 de 17,70 euros, que passou para os 21,05 euros", afirma o banco de investimento. Este novo "target" atribui à petrolífera liderada por Ferreira de Oliveira um potencial de subida de 40,78%, tendo em conta o preço de fecho de hoje (15,27 euros).

O aumento da avaliação é justificado "inteiramente com a unidade de Exploração e Produção e, nomeadamente, o Brasil", salienta a equipa de "research" do Caixa BI na nota de investimento divulgada hoje.

O banco destaca que a "Galp está presente, essencialmente, em duas áreas no que respeita ao ‘upstream’, a Angola e Brasil, com a primeira a ser a única fonte de produção petrolífera, até ao momento".

Sobre Angola o Caixa BI afirma que o efeito líquido do aumento das estimativas do preço do petróleo (de 60 para 100 dólares no longo-prazo) dada a forma de concessão das unidades de exploração.

"No Brasil, o efeito do aumento do preço do petróleo, dadas as actuais condições das taxas dos direitos de exploração e da taxa de ‘Participação Especial’, é mais directo". Os benefícios "de preços de venda mais elevados são mais sentidos na linha das receitas, especialmente no caso da Galp dada as reservas estimadas e a dimensão actual da empresa", denota o banco de investimento.

Outras Notícias