Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Carrefour diz resultados em Portugal do semestre foram «satisfatórios»

Os resultados da Carrefour Portugal, no primeiro semestre de 2002, foram «satisfatórios», disse fonte oficial do grupo francês ao Negocios.pt, não prevendo expandir as actividades em Portugal no segundo semestre.

Bárbara Leite 28 de Agosto de 2002 às 11:39
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Os resultados da Carrefour Portugal, no primeiro semestre de 2002, foram «satisfatórios», disse fonte oficial do grupo francês ao Negocios.pt, sem especificar valores. O Grupo prevê abrir 31 novos hipermercados no segundo semestre de 2002, não expandido as actividades em Portugal.

Nos primeiros seis meses de 2002, as vendas líquidas do Carrefour, cifraram-se nos 33,090 mil milhões de euros, menos 1,13% do que registado em igual período de 2001.

A empresa não divulga os resultados específicos das actividades nos diferentes países, mas a «performance» em Portugal foi «satisfatória», disse fonte oficial do grupo ao Negocios.pt.

A distribuidora francesa detém cinco hipermercados em Portugal e, não prevê a abertura de novos estabelecimentos no próximo semestre de 2002, acrescentou a mesma fonte.

«Estamos contentes com os nossos activos em Portugal, pelo que não prevemos alterações para o segundo semestre de 2002», adiantou a mesma fonte.

O Carrefour vai expandir as actividades na América Latina, Ásia e Espanha.

No primeiro semestre deste ano, a distribuidora abriu duas novas lojas de desconto em Portugal.

Os lucros líquidos da cadeia de hipermercados Carrefour cresceram 25%, no primeiro semestre de 2002, para os 400 milhões de euros, excluindo extraordinários, adiantou a distribuidora francesa.

Em 2001, as receitas do Carrefour Portugal totalizaram os 872,2 milhões de euros, mais 16,58% face a 2000, referiu a mesma fonte ao Negocios.pt.

Carrefour quer manter participação na Modelo Continente

O referido responsável adiantou que a posição de cerca de 20% no capital da Modelo Continente será para manter, visto essa participação ser estratégica.

«Não temos interesse em mudar a actual posição que temos na Modelo Continente», afirmou o mesmo responsável.

A Sonae SGPS lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre as acções que não detinha na Modelo Continente, mas o grupo francês negou-se a vender a sua posição naquela operação.

Ver comentários
Outras Notícias