Media Casal Obama em negociações para programas na Netflix

Casal Obama em negociações para programas na Netflix

Barack Obama, antigo presidente dos EUA, e a esposa, Michele Obama, estão em negociações com a Netflix com o intuito de produzir uma série de programas, de acordo com fontes próximas citadas pelo The New York Times.
Casal Obama em negociações para programas na Netflix
Reuters
Raquel Murgeira 09 de março de 2018 às 12:21

O casal Obama prepara-se para negociar com a Netflix a exibição de programas de conteúdo exclusivo.

Embora os termos do acordo ainda não tenham sido definidos tal como o número de episódios ou o formato dos programas, o conceito passa por ter o conteúdo apenas disponível no serviço "streaming", que conta com mais de 118 milhões de assinantes em todo o mundo, segundo o The New York Times.

De acordo com fontes próximas do processo, Barack Obama não pretende usar estes programas na Netflix para responder directamente ao actual presidente norte-americano, Donald Trump ou aos críticos. O casal quer somente produzir programas que destaquem histórias inspiradoras.

Nesta série de programas, o casal Obama deverá comunicar com o público sem filtros, uma maneira de abranger um público semelhante ao que já alcançou nas redes sociais: 101 milhões de seguidores do Twitter e 55 milhões pessoas na página do Facebook.

"O ex-presidente e a sra. Obama sempre acreditaram no poder da narração de histórias para inspirar pessoas", disse Eric Schultz, antigo consultor do ex-presidente, ao The New York Times. E acrescenta, que ao longo da vida de ambos "sempre deram destaque a histórias de pessoas cujos esforços para fazer a diferença mudam o mundo para melhor, de forma silenciosa".

Temas já abordados durante a presidência de Barack Obama, como: os cuidados de saúde, o direito de voto, a migração, a política externa e as mudanças climáticas são apontados como possibilidades a serem exploradas nos programas que os dois poderão vir a apresentar. Assim como a utilização da sua marca enquanto casal para documentários ou programação de ficção da Netflix que se alinhem directamente com as suas crenças e os seus valores, segundo o The New York Times.

Para a Netflix, um acordo bem-sucedido com o casal Obama será um passo para encontrar conteúdos originais, de forma a conseguir concorrer directamente com os seus adversários. A líder mundial em serviço de assinatura de filmes e séries de TV tinha já anunciado que poderia, durante este ano, gastar até oito mil milhões de dólares em novos conteúdos.

 




pub