Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cerealis vai impugnar judicialmente decisão da Autoridade da Concorrência

O Grupo Cerealis anunciou hoje que não aceita as conclusões da Autoridade da Concorrência, que decidiu aplicar uma multa de 4,7 milhões de euros à empresa do Grupo Amorim Lage, depois de ter práticas de cartel na fixação dos preços da farinha de trigo, qu

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 21 de Outubro de 2005 às 18:19

O Grupo Cerealis anunciou hoje que não aceita as conclusões da Autoridade da Concorrência, que decidiu aplicar uma multa de 4,7 milhões de euros à empresa do Grupo Amorim Lage, depois de ter práticas de cartel na fixação dos preços da farinha de trigo, que provocou um aumento no preço do pão.

«As empresas Cerealis Moagens e Cerealis Produtos Alimentares (grupo Cerealis) não aceitam as conclusões da Autoridade de Concorrência e vão impugnar judicialmente a decisão administrativa adoptada por esta entidade», refere um comunicado da empresa.

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou esta semana que decidiu aplicar uma multa de 9 milhões de euros a 10 empresas do sector das moagens. Depois de ter iniciado uma investigação, em 2004 ao facto de o preço do pão ter subido 30% na altura, a AdC concluiu que existiu uma prática de concertação de preços entre as empresas.

Mais de metade da multa total foi aplicada à Cerealis, que hoje em comunicado nega a pratica concertada de preços. «Contrariamente ao que é afirmado pela AdC, as empresas do grupo Cerealis não se conluíram com o objectivo de» efectuarem várias alterações de preços na farinha de trigo, entre 2000 e 2004.

No comunicado onde explica a decisão tomada, a AdC afirma que «entre Dezembro de 2000 e Setembro de 2004, os aumentos verificados no preço da farinha foram uniformes, quanto ao montante, quanto à data comunicação dos novos preçários aos clientes e quanto à entrada em vigor dos aumentos».

A Cerealis contraria, referindo que «os preços praticados, que constam de tabelas públicas sempre oportunamente comunicadas à AdC, são determinadas unilateralmente e com total independência num mercado fortemente concorrencial».

Outras Notícias
Publicidade
C•Studio