Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CGD: Ferro Rodrigues espera que nova comissão "vá mais longe" no apuramento de factos

O presidente da Assembleia da República desejou esta quinta-feira que a nova comissão de inquérito sobre a recapitalização e gestão da Caixa Geral de Depósitos "vá mais longe" no apuramento de factos do que a primeira com o mesmo objeto.

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, lembra o antigo Presidente da República Mário Soares como 'um grande português' e um dos fundadores da democracia em Portugal. 'É com grande pesar que tomo conhecimento do falecimento de Mário Soares. É costume dizer-se dos grandes políticos que a sua vida se confunde com a do tempo histórico que viveram. No caso de Mário Soares, não será exagerado dizer que é o último quartel do século XX português que se confunde com ele', lê-se numa mensagem de Ferro Rodrigues, divulgada no 'site' do parlamento. Sublinhando que 'Mário Soares foi um Grande Português', o presidente da Assembleia da República recorda a forma como o antigo chefe de Estado lutou pela democracia antes e depois do 25 de Abril.
'Se a nossa geração já fez política em democracia, se as gerações dos meus filhos e netos já cresceram num país livre, democrático e europeu, a ele muito o devemos', lê-se na mensagem, onde Ferro Rodrigues lembra também que Mário Soares, como líder político e deputado à Assembleia Constituinte, foi um dos fundadores da democracia portuguesa, iniciada pelo Movimento das Forças Armadas a 25 de Abril de 1974. O presidente da Assembleia da República fala, ainda, da forma como Mário Soares prestigiou o parlamento e o parlamentarismo como deputado à Assembleia da República e como esteve por detrás de grandes conquistas, como a criação do Serviço Nacional de Saúde, da Concertação Social e da adesão à então Comunidade Económica Europeia, enquanto primeiro-ministro.
'Como Presidente da República, afirmou Portugal e prestigiou o Estado, abrindo a presidência à sociedade e à cultura. O Portugal democrático, europeu e cosmopolita é o país de Mário Soares', é ainda referido na missiva. Na mensagem, Ferro Rodrigues transmite também em nome da Assembleia da República as 'mais sentidas condolências à família e amigos mais próximos' e 'a todo o Partido Socialista'.
Sábado
Lusa 21 de Fevereiro de 2019 às 19:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Ferro Rodrigues deu hoje posse à comissão de inquérito sobre o banco público, que terá a primeira reunião de mesa e coordenadores na terça-feira, pelas 17:00.

 

O presidente do parlamento classificou o inquérito parlamentar como o "instrumento mais portentoso e poderoso" disponível na Assembleia da República e defendeu que deve ter um uso "parcimonioso" e não usado "sistematicamente até se obter o resultado que este ou aquele grupo parlamentar pretende".

 

"Sobre a recapitalização do banco, foi constituída em junho de 2016 de forma potestativa a primeira comissão, encerrada em julho de 2017, sem que as suas conclusões fossem aprovadas", recordou.

 

Face a novos documentos, nomeadamente a auditoria independente da EY, os partidos entenderam "que se justificava a constituição de uma nova comissão, embora com um objeto mais amplo", acrescentou.

 

"O acordo alargado e o acesso a mais informação permite considerar que estão reunidas as condições para que vá mais longe do que a anterior no apuramento dos factos e daí tirar conclusões que sejam o mais consensuais possíveis", afirmou.

 

Considerando que, se a unanimidade numa comissão de inquérito "é porventura inatingível", Ferro Rodrigues sublinhou que se as grandes conclusões forem aprovadas "por largas maiorias" tal será importante para a dignificação da Assembleia da República.

 

O presidente da comissão, o social-democrata Luís Leite Ramos, salientou que à espera dos deputados estará "trabalho árduo e pouco tempo", já que os trabalhos da comissão deverão estar concluídos em meados de junho.

 

Na primeira reunião da mesa e coordenadores, ficou acordado que os partidos deverão entregar os pedidos de documentação e de audições, ainda que possa não ser a lista definitiva.

 

Na quarta-feira, realizar-se-á a primeira reunião com todos os elementos da comissão às 14:00, tendo Luís Leite Ramos considerado desejável que as primeiras audições se realizem na segunda semana de março.

 

O PS indicou como primeiro vice-presidente Fernando Rocha Andrade e o CDS-PP João Almeida como segundo vice-presidente.

 

A comissão integra sete parlamentares do PSD, sete do PS, um do BE, um do PCP e outro do CDS-PP.

 

Pelo PSD - além do presidente - o coordenador será o deputado Duarte Pacheco, e os restantes elementos serão Duarte Marques, Conceição Ruão, Inês Domingos, Carlos Silva, Virgílio Macedo.

 

Pelo PS, o coordenador da equipa será o deputado João Paulo Correia, que contará com mais três 'vices' da bancada socialista: Fernando Rocha Andrade, João Marques e Carlos Pereira.

 

São também elementos efetivos da comissão de inquérito, pelo lado do PS, a ex-ministra Constança Urbano de Sousa, Isabel Moreira e o ex-secretário de Estado Jorge Gomes. Como suplentes, o PS indicou os deputados Jamila Madeira, Marcos Perestrelo e Fernando Anastácio.

 

O CDS-PP, partido que propôs a comissão, terá como deputado efetivo João Almeida - porta-voz do partido e que participará pela terceira vez nos inquéritos parlamentares sobre o banco público - e como suplentes a 'vice' da bancada e do partido Cecília Meireles e Ana Rita Bessa.

 

Pela parte do BE, a dirigente Mariana Mortágua integrará esta comissão de inquérito como efetiva, tendo como suplentes Jorge Costa e Ernesto Ferraz.

 

Pelo PCP, Paulo Sá será o deputado efetivo e Duarte Alves e o líder parlamentar, João Oliveira, os suplentes.

Ver comentários
Saber mais Ferro Rodrigues João Paulo Correia Duarte Marques Luís Leite Ramos EY Fernando Rocha Andrade João Almeida Carlos Pereira Duarte Pacheco Conceição Ruão Inês Domingos Carlos Silva Ernesto Ferraz Virgílio Macedo João Marques Constança Urbano de Sousa ex-secretário de Estado Jorge Gomes Cecília Meireles Ana Rita Bessa Mariana Mortágua Paulo Sá Duarte Alves política
Mais lidas
Outras Notícias