Banca & Finanças Chineses da TAP tornam-se maiores accionistas do Deutsche Bank

Chineses da TAP tornam-se maiores accionistas do Deutsche Bank

O grupo HNA tem agora quase 10% do banco alemão e dá continuidade a uma política de investimento além-fronteiras que passa também por Portugal.
Chineses da TAP tornam-se maiores accionistas do Deutsche Bank
reuters
Wilson Ledo 03 de maio de 2017 às 10:05

O conglomerado chinês HNA aumentou a sua participação no Deutsche Bank para quase 10%, tornando-se o maior accionista do banco alemão.

 

O processo comunicado esta terça-feira, 2 de Maio, mostra que estes investidores já têm 204,7 milhões das 2,06 mil milhões de acções do banco.

 

Com 9,92%, o grupo HNA supera a Blackrock (5,88%) como maior accionista do Deutsche Bank. Em Fevereiro deste ano, aquando da entrada no capital do banco, os chineses admitiam já que a sua posição poderia chegar aos 10%.

 

O conglomerado HNA arrancou na aviação mas tem expandido as suas áreas de actuação ao longo dos últimos anos. Um dos pilares do investimento tem estado na hotelaria, com a compra de participações nas marcas Hilton e Carlson Rezidor.

 

Segundo o Financial Times, só este ano já fecharam negócios avaliados em mais de 5,5 mil milhões de dólares (5,04 mil milhões de euros). Tal representa 13% do valor das transacções da China a nível internacional.

 

O radar de investimento passa também por Portugal, uma vez que o grupo HNA subscreveu em Julho de 2016 – através da brasileira Azul, detida por David Neeleman e onde são accionistas – obrigações convertíveis em acções da TAP. Neeleman é accionista da companhia portuguesa através do consórcio Atlantic Gateway com Humberto Pedrosa.

 

Em Abril, o Financial Times dava conta que o grupo chinês HNA já gastou mais de 40 mil milhões de dólares (cerca de 38 mil milhões de euros) em compras de empresas nos últimos dois anos.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI