Indústria Cigna compra Express Scripts por 67 mil milhões de dólares

Cigna compra Express Scripts por 67 mil milhões de dólares

A Cigna, companhia de seguros de saúde dos EUA, vai comprar a Express Scripts num negócio de 67 mil milhões de dólares repartido em dinheiro e acções, de acordo com a Bloomberg.
Cigna compra Express Scripts por 67 mil milhões de dólares
Raquel Murgeira 08 de março de 2018 às 12:04

A Cigna quer comprar a Express Scripts num negócio que atinge os 67 mil milhões de dólares. A oferta pressupõe uma contrapartida de 48,75 dólares em dinheiro e 0,2434 das acções, por cada título da Express Scripts, anuncia a companhia em comunicado, esta quinta-feira, 8 de Março.

Já em Novembro passado a Express Scripts, que também actua no sector da saúde, anunciou estar disposta a um negócio por um preço adequado, embora não estivesse activamente à procura de um.

"Não precisamos de vender a companhia para sermos bem-sucedidos no futuro mas estamos sempre abertos àqueles que possam concluir subitamente que querem o que temos" afirma o líder executivo da Express Scripts, Tim Wentworth.

A aquisição vai mexer com a indústria que lidera a prescrição de medicamentos nos programas de seguros. A Express Scripts cobre mais de 100 milhões de pessoas, no entanto, a sua rival está a tornar-se tacticamente cada vez mais agressiva no controlo de custos, negando a cobertura de certos medicamentos e exigindo co-pagamentos elevados para os tratamentos médicos mais caros.

Na mesma altura deste acordo a Express Scripts perde também o seu maior cliente. Isto porque o ano passado, a companhia de seguros Anthem Inc. anunciou que iria formar a sua própria unidade na área farmacêutica, acusando a Express Scripts de cobrar em demasia em cerca de mil milhões de dólares.

A perca da Anthem Inc. já a partir de 2019 colocou pressão na Express Scripts numa altura de vários movimentos de fusões e aquisições na indústria da saúde. Em Dezembro passado, a Anthem anunciou combinar-se com a CVS Health num negócio de 67,5 mil milhões de dólares, tornando-se a maior cadeia de medicamentos do EUA e a terceira maior companhia de seguros de saúde.

 




pub