Energia Combustíveis voltam a descer após baixa que não foi histórica em todas as redes

Combustíveis voltam a descer após baixa que não foi histórica em todas as redes

Na segunda-feira os preços da gasolina desceram cerca de 7 cêntimos por litro na Repsol, Galp Energia e Cepsa, mas noutras companhias a redução foi bem inferior.
Combustíveis voltam a descer após baixa que não foi histórica em todas as redes
Na BP os preços dos combustíveis desceram menos do que noutras redes
Nuno Carregueiro 14 de junho de 2019 às 09:00

Os preços dos combustíveis devem voltar a descer a partir da próxima segunda-feira, embora as quedas estimadas sejam bem mais ténues do que as ocorridas esta semana.

 

Os cálculos do Negócios, tendo em conta as variações dos combustíveis cotados e o mercado cambial, apontam para uma descida em redor de 1 cêntimo por litro na gasolina simples. Já o gasóleo poderá ficar estável ou registar apenas uma queda ligeira.

 

Estas variações previstas para segunda-feira, 17 de junho, são bem inferiores às que aconteceram na última segunda-feira. De acordo com a Direção Geral de Energia e Geologia, tendo em conta a média dos preços praticados em todo o país, a gasolina simples baixou 4,6 cêntimos por litro no dia 10 de junho.

 

A queda foi significativa e a mais elevada dos anos mais recentes, mas ficou abaixo do que se estimava na sexta-feira passada quando se comparam os preços médios de todos os postos de abastecimento em Potugal.

O Negócios noticiou a 7 de junho que o preço da gasolina simples poderia baixar 7 cêntimos por litro, o que representava uma baixa de preços histórica. Esta estimativa tinha por base a variação dos combustíveis cotados entre segunda-feira e quinta-feira dessa semana e acabou por confirmar-se em algumas marcas em Portugal. Por exemplo na Galp, que é a mais representativa do país, a descida foi de 7,5 cêntimos por litro. Na Cepsa a descida também foi de 7,5 cêntimos, enquanto na Repsol totalizou 7 cêntimos.

Mas uma baixa de preços inferior noutras redes atenuou a descida do preço médio praticado em Portugal. Por exemplo na BP, que também tem uma rede considerável em Portugal, a descida na gasolina simples ficou-se pelos 3 cêntimos por litro, como se pode constatar no site Mais Gasolina. Outras marcas também terão aplicado descidas ténues, uma vez que apesar das baixas de 7 ou mais cêntimos na Galp, Repsol e Cepsa, o preço médio baixou menos de 5 cêntimos.

Ainda segundo o Mais Gasolina, no caso da Galp Energia a maior descida semanal de preços tinha acontecido por duas ocasiões (outubro de 2012 e outubro de 2014), com quedas de 6 cêntimos por litro.  

 

Com o gasóleo aconteceu o mesmo. Os cálculos apontavam para uma descida que poderia chegar aos 5 cêntimos por litro, mas a queda do preço médio foi de 3,5 cêntimos. Galp, Cepsa e Repsol desceram o gasóleo em 4 cêntimos por litro, enquanto na BP a baixa foi de apenas um cêntimo.

Contactada pelo Negócios, a BP recusou comentar a sua política de preços de combustíveis.

 

Caso a gasolina desça 1 cêntimo, será a terceira semana consecutiva de quedas e o preço por litro ficará abaixo de 1,52 euros. Já o gasóleo ficará em redor de 1,339 euros.

 

 

A evolução dos preços dos combustíveis é calculada pelo Negócios, tendo por base a evolução dos derivados do petróleo (gasóleo e gasolina) e do euro. Ainda assim, a evolução dos custos dependerá de cada posto de abastecimento, da marca e da zona onde se encontra.

 

Os cálculos do Negócios têm por base contratos diferentes dos seguidos pelas petrolíferas (ainda que a evolução costume ser semelhante), sendo que os dados disponíveis para o Negócios só estão disponíveis até quinta-feira (faltando um dia de negociação).




Marketing Automation certified by E-GOI