Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Comissão Europeia autoriza venda da ANA ao grupo Vinci

Bruxelas concluiu que a operação de privatização, prevista no programa de assistência financeira, não viola as regras comunitárias de concorrência.

Negócios 11 de Junho de 2013 às 11:58
  • Assine já 1€/1 mês
  • 22
  • ...

A Comissão Europeia aprovou esta terça-feira a aquisição da ANA - Aeroportos de Portugal pela empresa francesa Vinci, depois de concluir que a operação de privatização, prevista no programa de assistência financeira, não viola regras comunitárias de concorrência. 

 

“A investigação da Comissão Europeia apurou que a transacção não levanta problemas de concorrência”, refere uma nota publicada no site da Comissão Europeia, acrescentando que "a entidade resultante da concentração não teria, de facto, a capacidade de excluir fornecedores nos mercados a montante relativamente a serviços de engenharia eléctrica, mecânica e climática, dados os numerosos concorrentes credíveis. Também seria incapaz de excluir clientes uma vez que é um cliente pequeno de serviços de engenharia eléctrica, mecânica e climática".

 

A concretização da privatização da ANA aguardava precisamente a “luz verde” da entidade reguladora da Comissão Europeia, pelo que pode agora avançar o desembolso dos mais de três mil milhões de euros que a Vinci ofereceu pela gestora dos aeroportos nacionais. Até agora, a empresa francesa pagou apenas os 100 milhões de euros correspondentes ao sinal inicial previsto no contrato.

 

Pouco antes de se conhecer o vencedor deste processo, que atraiu vários grupos internacionais, a ANA assinou um contrato de concessão com o Estado, pelo qual a gestora está a pagar 1.200 milhões de euros, contratados em empréstimos bancários. Este valor será depois assumido pela Vinci. O objectivo desta operação era inscrever este montante nas contas públicas para ajudar a reduzir o défice. Mas o Eurostat chumbou a estratégia. 

 

O acordo de venda da ANA pelo Estado português à Vinci foi assinado a 21 de Fevereiro.

Ver comentários
Saber mais ANA Comissão Europeia
Outras Notícias