Aviação Companhias aéreas oferecem pijamas exclusivos a passageiros exigentes

Companhias aéreas oferecem pijamas exclusivos a passageiros exigentes

As empresas aéreas de alto padrão foram rápidas a transformar as suas cabines de primeira classe e de classe executiva em redomas de prazer e conforto. Champanhe, caviar, chefes célebres e assentos que se reclinam 180 graus e se transformam em camas são agora obrigatórios para quem competir pelos viajantes mais exigentes do globo.
Companhias aéreas oferecem pijamas exclusivos a passageiros exigentes
Bloomberg
Bloomberg 14 de agosto de 2016 às 13:00

Uma tendência menos visível do sector está a começar também a acompanhar esses tronos de alta tecnologia e a batalha pela supremacia é igualmente feroz: sim, as empresas aéreas começaram uma guerra de pijamas.

 

Os passageiros que viajam na cabine de luxo querem desembarcar "com aspecto fresco, renovado", diz James Bradbury-Boyd, porta-voz da Singapore Airlines, que tornou os pijamas parte integrante de seu serviço de bordo há pelo menos 20 anos. "Realizamos muitos dos voos de longa distância e de longa duração que existem pelo mundo fora e muitos desses voos são nocturnos". "É prático e o intuito é ajudar os passageiros a chegarem em melhor forma, tendo uma maior possibilidade de trocar de roupa", acrescenta.

 

Algumas empresas aéreas também oferecem chuveiros em salas VIP para que o passageiro esteja tão impecável quanto o seu fato - a Emirates, inclusive, levou-os os duches para bordo, mas o passageiro tem apenas cinco minutos de água.

 

Após anos de dificuldades financeiras, as empresas aéreas dos EUA também começaram a divulgar os pijamas como uma comodidade. O alvo delas é chegar ainda mais perto das grandes ligas de serviços de luxo dominadas pelas empresas da Ásia e do Oriente Médio. Essas empresas aéreas há já muito tempo que consideram os pijamas uma oferta obrigatória.

 

Os pijamas também oferecem uma oportunidade de destaque para as empresas aéreas que já mimam os seus passageiros lucrativos. A Qantas Airways, por exemplo, oferecerá pijamas com temática olímpica nalgumas rotas internacionais até 18 de Setembro em homenagem aos atletas da Austrália. O design verde e dourado de edição limitada, inspirado nas cores da equipa australiana, é um substituto temporário das roupas de algodão cinza que a Qantas normalmente distribui na classe executiva.

 

Quase todas as companhias aéreas escolhem o algodão como tecido para o seu pijama e a maior parte delas, como por exemplo a Singapore, transformou a apresentação da roupa em parte do ritual antes da cama. Isso inclui travesseiros, edredons e serviço de camareira para replicar a experiência de um hotel chique.

 

Os pijamas, que podem ser comprados no eBay e noutros sites por uma boa quantia, também são pensados para complementar os assentos de alta tecnologia encontrados agora em todas as cabines de luxo, verdadeiros centros de prazer que podem custar às empresas aéreas mais de 500.000 dólares cada. Algumas oferecem massagens e todas reclinam a 180 graus, uma comodidade muitas vezes apontada em estudos junto de passageiros como a componente mais importante num voo longo.

 

Popular ou não, vestir pijama a 35.000 pés de altura tem outro atributo raramente visto fora da mansão da Playboy. Tal como disse no ano passado Ben Schlapping, bloguista especializado em empresas aéreas, "onde mais é que é possível usar pijama e tomar cocktails em público?".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI