Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Consumidores exigem redução de prazos para disponibilizar cheques depositados

Os consumidores queixam-se do tempo que os bancos demoram a disponibilizar os fundos depositados. Um estudo da Deco revela que a Caixa Geral de Depósitos e o Millennium BCP são as instituições bancárias que demoram mais tempo a libertar o dinheiro quando

Maria João Soares mjsoares@negocios.pt 23 de Agosto de 2005 às 15:28
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os consumidores queixam-se do tempo que os bancos demoram a disponibilizar os fundos depositados. Um estudo da Deco revela que a Caixa Geral de Depósitos e o Millennium BCP são as instituições bancárias que demoram mais tempo a libertar o dinheiro quando depositado através de cheque de outro banco, ultrapassando mesmo o limite recomendado pelo Banco de Portugal.

A Deco já enviou uma carta ao Banco de Portugal a pedir a revisão da diferença entre a data do movimento e o dia no qual fica disponível.

«Esta reivindicação surge na sequência de um teste prático a quatro do maiores bancos portugueses, publicado na Dinheiro & Direitos, de Setembro, o qual confirmou atrasos a disponibilização do dinheiro, quando depositado através de cheque de outro banco», explica a associação (www.deco.proteste.pt) em comunicado.

Segundo o estudo citado, a Caixa Geral de Depósitos e o Millennium BCP são «os piores exemplos». Os dois bancos retiveram os fundos depositados em cheque de outro banco durante quatro dias úteis quando o intervalo recomendado pelo Banco de Portugal é de três dias úteis.

O Banco Espírito Santo demorou três dias úteis a disponibilizar o dinheiro enquanto no Banco BPI o dinheiro ficou disponível logo no dia útil seguinte ao depósito.

«Não há razão para um cheque demorar até três dias úteis a ficar disponível, quando o BPI consegue fazê-lo de um dia para o outro», acrescenta a Deco.

A associação de defesa do consumidor reivindica também que os depósitos em numerário e as transferências entre contas do mesmo banco fiquem imediatamente disponíveis dado que «o montante é confirmado no momento, não se justifica a diferença de um dia».

Ver comentários
Outras Notícias