Banca & Finanças Costa e Botín presentes na inauguração da nova sede do Santander Totta

Costa e Botín presentes na inauguração da nova sede do Santander Totta

Os escritórios do Santander em Lisboa foram expandidos. O investimento de 28,5 milhões de euros é inaugurado esta terça-feira pelo primeiro-ministro e pela presidente do grupo espanhol.
Costa e Botín presentes na inauguração da nova sede do Santander Totta
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios com Lusa 30 de janeiro de 2017 às 12:24

O Santander Totta inaugura a nova sede em Lisboa na terça-feira, 31 de Janeiro, numa cerimónia em que vai estar o primeiro-ministro português, António Costa, e a presidente do grupo Santander, Ana Botín.

 

Fonte do Banco Santander disse à agência Lusa que as novas instalações em Lisboa vão permitir concentrar neste centro operacional funcionários que estavam espalhados por vários edifícios da capital.

 

O projecto de ampliação dos escritórios, que o banco já tinha na rua da Mesquita, é da responsabilidade do arquitecto Frederico Valsassina, custou 28,5 milhões de euros e vai permitir passar de 1.300 para 2.200 funcionários.

Apesar da amplicação, a sede social do Santander Totta continua a ser na rua do Ouro, na baixa da capital. 

A presença de António Costa na inauguração acontece numa altura em que António Vieira Monteiro, o presidente do banco de direito português, admite haver contactos para procurar uma solução para os "swaps" do banco subscrito por empresas públicas portuguesas, companhias que enfrentam perdas potenciais de 1,5 mil milhões de euros por causa daqueles produtos. Isto depois do acordo para os "swaps" vendidos a empresas públicas da Madeira. 

 

Ana Botín foi nomeada para presidir ao grupo Santander em 2014, no dia seguinte ao da morte do pai, Emilio Botin, tornando-se na quarta geração da família a dirigir a entidade financeira e a primeira mulher a liderar o maior banco da zona euro. Em Setembro de 2015, a banqueira esteve em Lisboa onde se encontrou com um "grupo de destacados empresários e investidores". Foi nesse Verão que Vieira Monteiro se reuniu com a ministra das Finanças de então, Maria Luís Albuquerque, para mostrar interesse em ficar como Banif saneado de activos problemáticos. O processo não avançou mas, meses depois, no âmbito da resolução, o Santander Totta ficou com a instituição financeira. 

 

O grupo Santander anunciou na passada quarta-feira lucros de 6.204 milhões de euros em 2016, um aumento de 4% em relação ao ano anterior.

 

No mesmo dia, revelou que as operações em 2016 em Portugal do banco Santander Totta registaram um lucro de 395,5 milhões de euros, mais 35,8% do que em 2015.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI