Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CPR mantém notações A-2, com tendência estável, à CIMPOR

CPR mantém notações A-2, com tendência estável, à CIMPOR

Negócios negocios@negocios.pt 17 de Janeiro de 2005 às 15:46
  • Partilhar artigo
  • ...

CPR mantém notações A-2, com tendência estável, à CIMPOR

 

Emitentes

1) CIMPOR - Indústria de Cimentos, S.A. (CIMPOR CIMENTOS).
2) CIMPOR   Cimentos de Portugal, S.G.P.S., S.A. (CIMPOR SGPS).
3) CIMPOR   Cimentos de Portugal, S.G.P.S., S.A. (CIMPOR SGPS).

Operações

1) Papel Comercial no montante 150 000 000 euros (cento e cinquenta milhões de euros).
2) Papel Comercial no montante 150 000 000 euros (cento e cinquenta milhões de euros) ou o respectivo contravalor, nas datas das emissões, em outras divisas.
3) Papel Comercial no montante 1 250 000 000 euros (mil duzentos e cinquenta milhões de euros) ou o respectivo contravalor, nas datas das emissões, em dólares dos Estados Unidos da América ou em ienes. A notação atribuída às emissões realizadas ao abrigo deste programa só é válida se essas emissões não representarem endividamento adicional do Grupo.

Notações

1) A-2, com tendência estável. Esta notação é válida até 19 de Fevereiro de 2008, sendo necessário proceder a follow up até 15 de Julho de 2005.
2) A-2, com tendência estável. Esta notação é válida até 28 de Abril de 2008, sendo necessário proceder a follow up até 15 de Julho de 2005.
3) A-2, com tendência estável. Esta notação é válida até 23 de Setembro de 2005, sendo necessário proceder a follow up até 15 de Julho de 2005.

Data das Notações

17 de Janeiro de 2005

Período Analisado

1999 ao 1º Sem. 2004 e perspectivas para 2004.

 

A capacidade da CIMPOR SGPS e da CIMPOR CIMENTOS pagarem atempadamente as emissões de papel comercial ao abrigo dos programas sujeitos a follow-up é forte (A-2), com tendência estável. No entanto, a CPR manterá sob observação: a evolução do mercado de cimento em Portugal e as consequências sobre a capacidade de geração de fundos das empresas do Grupo em Portugal; a evolução das principais participadas detidas pelo Grupo no exterior, nomeadamente no Brasil e no Egipto; e o timing, o montante e o modo de financiamento de novas aquisições de participações que venham a ser realizadas.

Ver comentários
Outras Notícias