Tecnologias Critical Software abre quatro escritórios no Interior e prevê contratar 60 engenheiros

Critical Software abre quatro escritórios no Interior e prevê contratar 60 engenheiros

A Critical Software vai abrir quatro centros de engenharia em Évora, Tomar, Vila Real e Viseu, e deverá contratar pelo menos 60 engenheiros de 'software', numa decisão que procura combater o êxodo populacional para o litoral.
Critical Software abre quatro escritórios no Interior e prevê contratar 60 engenheiros
Bruno Simão
Lusa 21 de fevereiro de 2018 às 17:02

A tecnológica com sede em Coimbra lançou hoje uma campanha de recrutamento de 60 engenheiros de software para os quatro novos centros de engenharia, sendo que esse "é o número mínimo" estipulado para o arranque dos escritórios, que deverão estar a funcionar em Abril, disse à agência Lusa o director executivo e co-fundador da Critical, Gonçalo Quadros.

 

"Queremos depois crescer" para além das 15 pessoas por cada um dos centros, explanou, sublinhando que este movimento da empresa para abrir escritórios no Interior do país prende-se com a necessidade de "combater um êxodo das empresas e das pessoas - principalmente os mais jovens - para os grandes centros urbanos" no litoral.

 

Para Gonçalo Quadros, há que contrariar "esse caminho", esperando que a experiência nestes quatro novos centros "permita abrir outros e cobrir o país de forma uniforme".

 

"Temos essa ambição", admitiu o director executivo da tecnológica.

 

Os locais, explicou, foram escolhidos face à existência de pessoas qualificadas e com "a cultura" da Critical Software, que pudessem arrancar com os escritórios naqueles locais, para além das "relações fortes ou privilegiadas com algumas universidades ou politécnicos" daquelas cidades.

 

O objectivo com os centros de engenharia passa também por os especializar.

 

"Estamos a criar células estaminais, que depois se irão especializar, de acordo com as nossas necessidades, com a vocação das pessoas e com a relação com as universidades", sublinhou.

 

Segundo Gonçalo Quadros, a empresa já recebeu "inúmeras candidaturas e contactos" para os novos centros, o que demonstra que "há interesse e que este movimento faz sentido".

 

"As pessoas querem que isto aconteça e querem que haja alternativas", referiu, salientando que estes escritórios são "mais um motivo bom, forte, para que as pessoas tenham sonhos e possam trabalhar em determinados domínios e abraçar carreiras profissionais que sejam estimulantes" sem terem de ir para os grandes centros urbanos do país.

 

De acordo com a nota de imprensa da tecnológica, para além da campanha de recrutamento para os novos centros, a Critical está também com várias vagas em aberto para o litoral do país.

 

A Critical Software nasceu em 1998, em Coimbra, sendo uma empresa especializada em serviços para o suporte de sistemas críticos orientados à segurança e ao negócio das empresas, que tem trabalhado em sectores como o automóvel, a aeronáutica, o espaço ou a defesa.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Tereza economista 21.02.2018

Uma estratégia muito inteligente desta empresa pois é possível fixar jovens em cidades médias onda a renda de um quarto é cem euros. Lisboa está insustentável.

Saber mais e Alertas
pub